29 de maio de 2012

Dia 28 - Decisão: Disciplina de viver

29 de maio de 2012

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido distrair-me com coisas irrelevante à vida.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu não me dedicar à vida então não viverei.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que sem disciplina eu não irei nunca criar-me como um disciplo da vida.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu não me disciplinar como vida então não serei um disciplo da vida e como tal acabarei por morrer sem sequer ter vivido.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido estar farto de estar sempre na mesma situação em vez de me disciplinar a mudar-me ao viver quem sou.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ter resistências a me mudar em vez de realizar que estas resistências irão para sempre existir caso eu não as transcenda ao ser/expressar aquilo que tenho resistência a ser/expressar.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que as resistências a mudar é na verdade a mente com sentimentos/pensamenos/emoções/habitos  a mostrar-me claramente aquilo que eu tenho de enfrentar a cada momento.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu não ganhar em mim a força de vontade necessária para mudar as coisas nunca mudarão.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a mudança ocorre aqui a cada respiração à medida que eu vivo a decisão de viver/ser aquilo que é melhor para todos, pois quem eu tenho sido até agora é exactamente o oposto.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido querer ficar na cama em vez de realizar que tal é na verdade a resistência que eu tenho em mudar.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido fazer do acordar a expressão viva de eu a viver a decisão.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido querer fazer "coisas" de forma a não viver a decisão em vez de realizar que eu ao fazê-lo estou de facto a permitir e aceitar ser um escravo da mente pois sou completamente dominado e controlado pela resistência em mudar.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a muDANÇA é uma dança na qual eu me movimento aqui a cada respiração, a par e passo com a vida - com aquilo que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido fazer deste processo de mudança um processo de diversão na qual eu encontro a verdadeira versão de quem eu sou como vida.

Eu dedico-me a viver estas palavras todos os dias, a toda a hora.

Eu dedico-me a puxar por mim um pouco mais a cada momento de forma a que quem eu sou seja o reflexo destas palavras.

Eu dedico-me a viver a disciplina da vida - na qual eu me disciplino como vida.

Eu dedico-me a encontrar em mim a força e a coragem necessária para viver a cada respiração quem eu sou como vida: A decisão.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket