5 de junho de 2012

Dia 35 - Depressão mundial = Depressão individual

5 de junho de 2012

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ficar triste e desapontado comigo mesmo quando eu não vejo que não estou a viver a decisão que decidi viver.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido que as experiências energéticas me controlem acabando por determinarem o que eu faço em vez de eu realizar - no momento - que estou a ser manipulado pela mente, parar e dar-me direcção, puxando por mim para viver a decisão de ser aquilo que é melhor para todos - começando pela auto correcção.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se as coisas fossem fáceis isto não seria um processo de mudança. Eu realizo que para mudar eu tenho de sair da minha "zona de conforto" - o meu programa - ao me redescobrir e me recriar como aquilo que é melhor para todos, como vida.
Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a tristeza, a depressão e a falsa felicidade não irão parar de existir caso eu não me mudo - caso eu não me torne físicamente a expressão viva de decisão - daquilo que é melhor para todos, corrigindo-me a cada momento, parando o vício da energia da mente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que quando me vejo a distrair com entertenimento de forma a escapar à tristeza e à depressão só estou na verdade a piorar a minha situação pois estou na esperança que esta passe sem que eu me mude, sem que eu faça nada que seja a prova viva que eu não me permitido ser dominado pela energia da depressão/tristeza.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a depressão não passa de uma energia (negativa) da mente que me coloca num certo modo de comportamento no qual eu me comporto como "um deprimido" - e como tal, ao mudar o meu modo eu estou na verdade a não permitir que a energia da depressão tenha poder/controlo sobre mim: Ao parar, ao respirar, ao escrever e ao pucar por mim para viver a decisão eu não me estou a permitir ser/estar deprimido/triste.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido arranjar desculpas para me sentir deprimido - tais como a casa está um caos - em vez de nesse momento me mudar ao não permitir que a casa seja o reflexo da depressão - e, sendo assim, eu faço com que o ambiente à minha volta seja o reflexo da minha decisão de viver aquilo que é melhor para todos.

Eu perdoo-mepor não me ter aceite e permitido realizar que este mundo está em depressão (recessão) devido à energia da mente humana - o ego - que não considera aquilo que é melhor para todos: e desta forma continuamos continuamente a colocarmo-nos em constante pressão para que cada um de nós "se safe" neste sistema no qual é necessário pisar (pressão) os outros para que "nos demos bem na vida".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que para que uma pessoa chegue ao ponto no qual enfrenta a decisão de viver aquilo que é melhor para todos acaba por entrar a DEPRESSÃO pois entra num processo de des-pressão (tirar a pressão) no qual enfrenta a realidade que este mundo é o resultado do abuso (pressão, stress) em que continuamente estamos "pisar" os outros à nossa volta para que fiquemos "no topo da pirâmide" -- e como tal nada neste mundo é de valor, nada neste mundo "é bonito", nenhum plano é de valor, nenhum objectivo é de valor, nenhum desejo é de valor --- nada é de valor excepto a decisão de SER e VIVER aquilo que é melhor para todos, e como tal o EGO tem de ser enfrentado e é nesta altura que a mente (como o ego) usa a sua "última carta" na forma de depressão.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que toda a gente está na realidade numa forma de depressão - no entanto o dinheiro e o entertenimento são a máscara usada para que a realidade de cada um não venha "à flor da pele".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que só na face da calamidade total é que se vê quem é que o ser humano realmente é. Assim sendo, é só quando a vida de cada um se torna um caos que enfrentamos quem realmente somos -- e será só nesse momento/altura que a verdadeira transcendência da depressão para se ser/viver aquilo que é melhor para todos é real.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a tristeza e a depressão surgem da falta da decisão sobre "Quem Eu Sou" - e o dinheiro é aquilo que dá ao ser humano a possibilidade de se escapar de responder a esta questão que, se respondida em honestidade própria, o levará a mudar-se por completo.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido esperar/desejar que as coisas se tornem fáceis em vez de realizar que antes de tal acontecer eu terei de enfrentar o ponto mais baixo da minha existência -- e é só depois de ter "batido no fundo" é que será possível eu "começar a surgir à tona" como um renascido: o verdadeiro renascer.

Eu dedico-me a enfrentar toda a minha depressão/tristeza ao respirar e ao libertar toda essa energia - e, nesse mesmo momento, VIVO a decisão de ser aquilo que é melhor para todos, fazendo QUEM EU SOU com tal.

Quando e assim que me vejo em modo de depressão/tristeza e a procurar entretenimento de forma a não me enfrentar: Eu páro e respiro. Nesse momento realizo que tenho a oportunidade de me estabelecer como a decisão daquilo que é melhor para todos ao não me permitir ser dominado/controlado pela energia da mente, e como tal dou-me direcção, tomo responsabilidade por mim mesmo e vivo a disciplina necessária para ser a expressão viva daquilo que é melhor para todos.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket