20 de junho de 2012

Dia 39 - Enfrentando resistências

20 de junho de 2012

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido pensar que não tenho nada para pedoar em vez de realizar que esta ideia provem do meu ego/mente - apresentando-se como uma barreira/resistência a para que eu não veja a verdade sobre mim mesmo.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sentir-me mal comigo mesmo por não estar a viver/ser/fazer aquilo que eu me compremeti a ser/viver/fazer em vez de simplesmente viver o compromisso.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sentir-me mal comigo mesmo por ainda não ter mudade definitivamente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a mudança vive-se aqui a cada momento da respiração ao se viver a decisão de ser aquilo que é melhor para todos -- tudo o resto é nada mais que uma ideia de mudança.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a resistência à mudança é e sempre será uma energia da mente, e como tal não é real - e como tal eu sou capaz de por um fim à mesma ao puxar por mim para manifestar a decisão de ser aquilo que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que cada dia que passa é mais um dia em que eu ou vivo a decisão ou torno as coisas mais difíceis para mim mesmo ao continuar com o hábito de ser menos do que aquilo que eu sou.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a cada respiração eu torno a mudança um hábito ou uma resistência ao puxar por mim para viver aquilo que è melhor para todos ou ao me permitir estar sujeito à resistência/energia da mente.

EU perdoo-me por não me ter aceite e permitido dedicar-me todo o momento à minha auto correcção, independentemente daquilo que eu faço.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido ter a confiança em mim mesmo de que sou capaz e que vou viver aquilo que é melhor para todos ao dedicar todo o meu tempo à auto correcção.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido querer ser mais do que aquilo que sou neste momento em vez de ser humilde comigo mesmo e enfrentar a verdade de mim mesmo ao lidar com os pontos à medida que eles vão aparecendo, a cada momento - todas as resistências/energias.

Eu dedico-me a puxar por mim para trasncender todas as resistências a viver aquilo que é melhor para todos ao respirar e a executar a mudança física necessária à transcendência.

Eu dedico-me a puxar por mim para enfrentar as resistências ao deliberadamente colocar-me em situações nas quais enfrento resistências.

Eu dedico-me a abrandar a todo o momento de forma a ter o tempo necessário a identificar as resistências da mente que se opõem à minha mudança.

Eu dedico-me a ir para além daquilo que até agora estive disposto a enfrentar - ao simplesmente enfrentar e a transcender as resistências que tenho em viver aquilo que é melhor para todos (a minha dedicação à correcção)

Eu dedico-me a viver a correcção a todo o momento, puxando por mim para enfretar todos os pontos que me separam da vida - daquilo que é melhor para todos.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket