23 de junho de 2012

Dia 42 - Parando Auto Sabotagem

23 de junho de 2012

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sabotar-me ao agir de acordo com o passado, com uma memória - em vez de agir em honestidade própria, corrigindo-me de forma a agir em unidade e igualdade como vida.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sabotar-me ao entrar em conflito comigo mesmo ao permitir uma conversa de fundo na minha mente (back chat) em vez de me dar direção, parando a conversa na mente e simplesmente agindo em honestidade própria - pois em honestidade própria não há conflito nem hesitação.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que este mundo é o resultado da auto sabotagem de cada ser humano à medida que cada um age de acordo com o passado, de acordo com as memórias, de acordo com a personalidade de separção de cada um - em vez de agirem em honestidade própria, corrigindo a aparente "natureza de separação" - e desta forma criando um mundo que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu não fizer a minha parte ao parar de me sabotar - eu continuarei a ser parte do problema nesta terra -- e nada menos que honestidade própria é aceitável.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao abrandar- dentro de mim - eu torno-me ciente de mim mesmo: do meu corpo, dos meus pensamentos, das minhas emoções, dos meus sentimentos - e desta forma torna-se mais fácil identificar os pontos a corrigir.

Eu dedico-me a parar a minha "natureza de conflito" interno ao respirar e a dar-me direcção, tomando responsabilidade própria e agindo em honestidade própria - expressando a decisão de ser aquilo que é melhor para todos - e desta forma tornando-me a solução viva do conflito que existe neste mundo.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sabotar-me ao me permitir e aceitar não viver as palavras que decidi viver.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sabotar a minha confiança em mim mesmo ao acabar por fazer o oposto daquilo que eu decidi fazer no "momento da verdade".

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido arranjar desculpas e justificações e desta forma sabotar a minha decisão de corrigir toda a decepção que em mim existe.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sabotar-me ao permitir que as desculpas e justificações que arranjo para não me corrigir sejam mais fortes que a minha decisão e vontade em me mudar de forma a não permitir nada menos do que aquilo que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ser EGOista ao permitir que o meu ego se justifique e desculpe de forma a continuar a sua existência de separação de tudo o resto em vez de parar, respirar e não permitir que os pensamentos/sentimentos/emoções/energias/resistências me controlem, e desta forma dou-me direcção, corrijo-me, de forma a expressar aquilo que é melhor para todos.

Eu dedico-me a parar todos os sentimentos/emoções/pensamentos que me levam a sabotar-me. Desta forma eu hajo em honestidade própria , garantindo que me corrijo e expresso aquilo que é melhor para todos.

Eu dedico-me a abrandar aqui com e como a respiração, tronando-me ciente de cada respiração, e desta forma capaz de parar todos os pensamentos/sentimentos/emoções que me levariam a sabotar-me caso eu me permitisse estar em "modo automático".

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket