17 de julho de 2012

Dia 51 - MLV - Eu sou uma cópia do passado

17 de julho de 2012
MLV - Mente Livre de Virus


Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu me tornei uma cópia das imagens e crenças que ao longo do tempo fui valorizando como "bom" e/ou "mau".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que estas imagens e crenças "boas" e/ou "más" que eu acabei por usar para definir "quem eu sou" foram valorizadas de acordo com a minha família, religião, cultura, sociedade, e país - e ao longo do tempo eu fui mutando ligeiramente de forma a me enganar a mim mesmo de forma a acreditar que eu sou um indivíduo único e singular - 100% original - e que ajo da forma que desejo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu nunca irei atingir o meu potencial criativo enquanto eu me permitir ser uma cópia das minhas memórias - imagens, crenças, ideias, valores que foram programados em mim pelos meus pais, família, religião, cultura, país, sociedade.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que o meu comportamento é na sua maioria reactivo em vez de criativo -- pois eu ajo de acordo com o passado (o que é ma verdade uma reacção) em vez de ajir de acordo com aquilo que o momento me apresenta sem que o passado/memórias interfira/interfiram.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido acreditar que eu não sou capaz de me ver livre deste condicionamento (passado/memórias) em vez de realizar que eu decidi, aceitei e permiti que tal me defina - e como tal sou capaz de parar tal definição e agir em honestidade própria, tornando-me criativo em vez de reactivo.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido estar sujeito a um programa baseado em memórias e crenças passadas (do passado) em vez de me tornar um ser verdadeiramente livre capaz de me mudar o meu "programa" para algo baseado em honestidade própria, respeito próprio, disciplina própria, determinação própria, confiança própria, assertividade própria, direcção própria, movimento próprio - de forma a expressar/ser aquilo que é melhor para todos em unidade e igualdade.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que para que eu como membro da espécia humana - e a espécie humana como um todo - possa sobreviver e crescer em todos os aspectos possíveis é necessário que eu mude o meu comportamento -- pois o comportamento humano até agora (o meu comportamento) tem sido baseado em parâmetros de separação, competição, conflito, ego, ganância, medo  - e estes não passam de comportamentos destrutivos tanto para mim como para a sociedade.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que enquanto o meu comprtamento - e o comportamento da espécie humana - não mudarem, eu - e a espécie humana - acabarei/acabaremos por continuar a obter os mesmos resultados destrutivos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a espécie humana é composta por indivíduos, e para que a espécie como um todo mude é necessário que cada indivíduo mude - assim sendo cada indivíduo necessita de tomar responsabilidade por sí proprio/a.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que TUDO O QUE EU POSSO FAZER PARA MUDAR O MUNDO é MUDAR-ME A MIM PRÓPRIO, e dar o meu exemplo para que outros vejam que É POSSIVEL e que esta é na verdade a ÚNICA SOLUÇÃO.


0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket