20 de julho de 2012

Dia 54 - MLV - Vivendo no passado - Parte 1

20 de julho de 2012
MLV - Mente Livre de Virus


Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que aquilo que eu estou ciente a este momento não passa daquilo que eu fui ensinado/mostrado como sendo "verdade" por aqueles que estão presentes no meu ambiente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que aquilo que eu fui ensinado/mostrado como verdade por pessoas às quais eu respeito (família, professores, líderes) não passa de algo que estas mesmo, enquanto crianças, aprenderem através daqueles que as rodeavam e que respeitavam - pois a "sabedoria" provém dos "mais velhos", e as crianças "calam-se e comem" a informação que lhes é passada. Desta forma, eu realizo, foi criado un ciclo vícioso no qual ainda nos encontramos hoje, e é por isso que as coisas nunca realemnte mudaram (só a imagem) e como tal continuamos a viver como uns bárbaros, a desrespeitarmo-nos a nós próprios e uns aos outros de formas mais "sofisticadas".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que enquanto sociedade e seres humanos nós continuamos a viver no passado, a agir exactamente da mesma forma: com as mesmas crenças, os mesmos medos, as mesmas culturas, os mesmos conflitos -- e é pos isso que a história se continua a repetir - "vira o disco e toca o mesmo" - morre um ser humano mas já existe uma cópia do mesmo para continuar com os mesmos "pecados".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que aquilo que eu estava ciente enquanto criança não passa da informação que me foi passada pela minha família, religião, cultra, sociedade, país - e como tal eu não passo de uma cópia dos meus antepassados, religião, cultura, sociedade, país - e desta forma nada daquilo que me eu tornei é uma expressão minha como VIDA mas sim um programa/sistema.

Assim sendo - Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao chegar à idade adulta eu não passo de uma cópia daquilo que o meu ambiente me apresentou - e assim sendo pergunto-me se o ambiente eu que eu cresci representa quilo que é melhor para todos? Claramente que não. Assim sendo, aquilo que eu me tornei não é o que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que o programa/sistema base já está bem implementado nas nossas mentes quando chegamos à idade adulta e a partir daí todo o resto do programa será adicionado baseado naquilo a pensamos ser "livre arbítrio" - quando na verdade está sujeito ao programa base.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a IMAGEM que temos de nós mesmo será um pensamento IMAGEM de todas as IMAGENS que nós copiámos ao longo dos primeiros anos nos quais fomos implementados com o programa/sistema base.





0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket