28 de julho de 2012

Dia 60 - MLV - Os Cinco Sentidos - A forma como nos programamos

28 de julho de 2012

MLV - Mente Livre de Vírus

Os Cinco Sentidos - a forma como nos programamos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que através da visão eu guardo imagens/memórias na minha mente de forma a que as possa usar mais tarde - e através desta linguagem visual eu acabo por usar certas imagens/memórias para definir "quem eu sou".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que através da minha audição eu associo certos sons a certas imagens de forma a que as imagens tenham uma determinada significado - e através destas imagens e significados eu acabo por definir "quem eu sou" em relação ao meu mundo/ambiente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao ouvir um determinado som/palavra a minha mente apresenta uma determinada imagem que é/está associada a tal som/palavra - e desta forma, caso eu não tenha noção do que está a acontecer, eu sou capaz de ser vítima do controlo/manipulação de memórias passadas com determinados definições/significados que me foram ensinadas pelos meus antepassados/pais/professores/sociedade/cultura/religiao/ambiente - assim sendo, eu dedico-me a não permitir que a minha mente defina/controle/manipula a minha experiência neste momento à medida que eu não permito que o passado interfira neste momento -- assim sendo eu garanto que a cada momento eu me estou a criar/recriar de forma a que aquilo que eu me torne é na verdade o que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que, assim como a audição, o olfacto é também usado para associar a uma imagem um determinado significado que é guardado/armazenado para uma referência futura - assim sendo, quando o mesmo cheiro nos chega ao nariz, nós acabamos por definir esta nova imagem de acordo com a imagem passada - e assim, em vez de vivermos no presente acabamos por viver no passado.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que, assim como o olfacto e a audição, o tacto é também usado usado para associar a uma imagem um determinado significado que é guardado/armazenado para uma referência futura - assim sendo, quando sentimos a mesma textura que experiênciamos no passado e que estava associada a uma determinada imagem/experiência, nós acabamos por viver no passado em vez de termos uma experiência única Aqui no Presente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que, assim como o olfacto, a audição e o tacto, o paladar é também usado usado para associar a uma imagem um determinado significado que é guardado/armazenado para uma referência futura - assim sendo, quando sentimos o mesmo saber que experiênciamos no passado e que estava associada a uma determinada imagem/experiência, nós acabamos por viver no passado em vez de termos uma experiência única Aqui no Presente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que os cinco sentidos operam em conjunto de forma a dar significado/definições às várias imagens que experiênciamos de forma a que no futuro a mente imponha estas imagens passadas sobre as imagens presentes que experiênciamos -- assim sendo acabamos por viver no passado ao contaminarmos as imagens presentes com julgamentos de experiências passadas - e desta forma não vivemos no momento, e perdemos a oportunidade de experiênciar na totalidade aquilo que Sentimos através dos cinco Sentidos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que os VERDADEIROS SENTIMENTOS aquilo que Sentimos através dos Cinco Sentidos -- e que as experiências energéticas tais como "amor", "medo" e todo o espectro de "sentimentos/emoções" entre estes dois não passam de ilusões por nós criadas às quais acabamos por dar um valor/significado e através deste passamos a definir "quem somos".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que assim como o computador necessita de um operador com livre arbitrio, o SER humano também necessita de um SER para operar o Corpo Humano (hardware) através da Mente Humana (software) - no entanto, o operador não é nem o software(mente) nem o hardware (corpo). Para que o operador tire o melhor proveito do computador é necessário que este entenda como o hardware (corpo) e o software) funcionam - e para esta operação ser eficaz não é necessário (nem aconselhável) um sistema de crenças pois este só limita a utilização/operação do mesmo.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket