2 de agosto de 2012

Dia 66 - MLV - Estabelecendo um Relacionamento com a Terra

2 de agosto de 2012
MLV - Mente Livre de Vírus

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao estar aqui na Terra eu estabeleço imediatamente uma relaçionamento com o meu ambiente - a Terra - que pode ser de suporte/apoio ou destrutivo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que, para meu meu, é obviamente benéfico estabelecer um relacionamente de suporte/apoio com a Terra de forma a que eu possa usufruir da melhor forma tudo o que a Terra me providência.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que enquanto houverem comportamentos/relacionamentos destrutivos em mim isso fará com que eu não esteja num relacionamento de suporte/apoio com a Terra.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que todos os seres aqui na Terra - TODA A VIDA - provém da Terra e como tal os relacionamentos que estabeleço com cada ser vivo são na verdade um relacionamento que estabeleço com uma parte da Terra, e como tal, para que eu seja a expressão Viva daquilo que é melhor para todos/Terra, é obvio que é necessário eu manter um relacionamento de suporte/apoio com toda a Vida.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu estabeleço também um relacionamento comigo mesmo - e este relacionamento que eu estabeleço comigo mesmo é a basa de todos os relacionamentos que eu estabeleço com o meu ambiente/terra.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido criar um relacionamento comigo mesmo baseado em acumular pensamentos, sentimentos e emoções de forma a me definir "quem eu sou" em vez de realizar que ao fazê-lo eu estou a fazer-me um escravo deo passado/memérias - assim sendo o meu relacionamento comigo mesmo é baseado no passado em vez de me estar Aqui num relacionamento activo com o presente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que aquilo que eu fui ensinado/programado pelos meus pais/familia/professores/sociedade/cultura é o fARDO que alimenta a chama dos comportamentos destrutivos, e por este motivo o ralacionamento comigo mesmo - e por consequência com os outros - não é o que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido realizar que se eu me livrar do fardo do passado acabo por perder a minha "entidade" em vez de realizar que eu me estou na verdade a VER LIVRE (livrar) do passado e desta for a VER-me em LIBERDADE para expressar/ser quem eu escolho ser ser que o passado condicione a escolha -- desta forma acabo por viver em livre arbítrio.


0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket