27 de agosto de 2012

Dia 77 - MLV - Personalidade: O sistema Opinativo

27 de agosto de 2012
MLV - Mente Lívre de Vírus


Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que assim como o computador têm um sistema operativo - nós também temos um sistema operativo (opinativo?) a que chamamos "Personalidade".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao me permitir existir como uma personalidade eu não serei live para me expressar na totalidade pois a minha expressão será limitada pela minha personalidade - pela minha "maneira de ser".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a minha "maneira de ser" está directamente relacionada com o meu ambiente -- e, muito daquilo que compõem esta minha "maneira de ser"/personalidade provém dos meus pais -- assim sendo eu vejo claramente que eu não passo de uma cópia - logo é claro de se ver que a ideia que eu tenho que "sou livre" não passa de uma mentira que pregámos a nós mesmos e a aceitámos de modo a não vermos a verdade de nós mesmos e, desta forma, incapazes de nos mudarmos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar como a minah personalidade/"maneira de ser" é também o resultado da classe social em que nasci (pobre/baixa/média/alta/rica/milionária) da cultura em que nasci, o país em que nasci, a religião predominante no país, a época e o estado socio/económico do país.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar como a lei da causa-efeito acabou por determinar a minha personalidade/"estado de ser"

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar como a lei da relatividade (comparação) acabou por determinar a minha personaidade/"estado de ser" ao me permitir criar ideias e crenças sobre os outros e sobre mim.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar como eu justifico sempre os meus comportamentos baseados em sistemas de crença que eu permiti e aceitei definirem-me.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a ideia/crença que "nascemos em pecado" justifica e desculpa os vários comportamentos destrutivos que fazem parte das nossas personalidade/"estados de ser" - e por consequência "não nos damos sequer ao trabalho" de testar tal ideia/crença e continuamos a abusar uns dos outros e a nem sequer mudarmos - pelo contrário, cada vez nos tornamos melhores a achar um balanço/equlibrio na forma como abusamos uns dos outros ao ponto de dizermos que "é normal" e que "será sempre assim".

 Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que os vários comportamentos destrutivos que fazem parte das nossas personalidades são na verdade - através da acumulação - aquilo que fazem com que o mundo estaja no caos/conflito/guerra que se vê.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que é o JULGAMENTO que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-lo ao realizar que a VIDA não faz distinções entre "superior/inferior" ou "bom/mau".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a VÍTIMA que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-la e tomar responsabilidade - EU SOU RESPONSÁVEL.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que é a GANÂNCIA que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-la ao realizar que eu não estou/separado de nada neste/deste Universo, e como tal a capacidade de DAR e RECEBER é na verdade o melhor que eu posso dar a mim mesmo e aos outros.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que é a INVEJA que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-la ao realizar que na verdade eu não estou separado dos outros - e a INVEJA só revela que eu me encontro em COMPETIÇÃO e pretendo GANHAR/TER MAIS que o outro para me sentir melhor comigo mesmo --- ridículo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que é a AGRESSIVIDADE que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-la ao realizar que esta AGRESSIVIDADE é na verdade contra mim mesmo!

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que é a CUSQUICE que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-la ao realizar que eu estou a falar "mal dos outros" para formar um ponto de comparação de forma a me sentir superior/melhor que os outros -- o que é em si nada mais nada menos que a ideia/crença que sou/estou separado dos outros.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que é o MEDO que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-lo ao realizar que este medo É SEMPRE O MEDO QUE EU TENHO DE MIM MESMO! - É O MEDO de me tornar UM E IGUAL COM TUDO/TODOS pois eu me permito ser/estar separado de tudo/todos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que é a CULPA que em mim e em todos existe que causa parte dos problemas do mundo - e que para eu resolver parte do problema só me cabe a pará-la ao realizar que enquanto eu culpar os outros/eventos externos por aquilo que acontece/estado do mundo eu NUNCA irei tomar RESPONSABILIDADE e as coisas nunca irão mudar.


0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket