1 de setembro de 2012

Dia 82 - MLV - Ego: A queda dos Monumentos - Parte 2

1 de setembro de 2012

MLV - Mente Livre de Vírus

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar como estes "monumentos" que eu venero e glorifico e que constinuem a minha personalidade/ego/mente acabam por formar uma "cadeia montanhosa" ao qual eu acabo por me tornar um prisioneiro.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu tenho duas opções para lidar com esta "cadeia montanhosa": OU tento subir as montanhas que criei e experiênciar o a dificuldade e a dor (consequência) dos monumentos que me tornei prisioneiro --- OU liberto-me desta "cadeia" de pensamentos/sentimentos/emoções (monumentos) ao aplicar o perdão próprio e a viver a aplicação prática correctiva de forma a me tornar a expressão daquilo que é melhor para todos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar como eu uso os meus "monumentos" para ser "diferente" quando na verdade o que eu quero é ser notado para obter reconhecimento e aprovado pelos outros.

Considerando que Eu sou Vida: Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido tentar definir aquilo que é indefinivel ao tentar limitar-me/definir-me como os pensamentos/sentimentos/emoções que experiêncio em vez de realizar que a Vida, sendo eterna - sendo a ÚNICA REAL-idade - é ilimitada!

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao não permitir que as outras expressões de vida tenham a total liberdade de se expresssarem como tal, eu estou na verdade a impedir a minha verdadeira expressão com um e igual como toda a vida.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu sou responsável pelos "monumentos" que criei e que me separam do resto da existÊncia/vida/universo -- e assim como eu os criei tenho tambem a abilidade de resposta (respons-abilidade) de os perdoar para me ver LIVRE do fardo por eles causado.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que os pensamentos não passam de imagens - e as emoções e sentimentos são imagens com uma carga energética associada mais elevada que os pensamentos -- e estes NÃO são Vida, mas sim um reflexo/produto de uma reacção/resistência/conflito RESULTATE da separação/abuso/limitação/definição/quebra/rotura da substância de/da Vida --- assim como se dá uma libertação de energia quando se faz a cisão/separação/rotura do atomo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido ser/estar ciente da forma como os meus pensamentos surgem e me colocam num certo e determinado modo Eu realizo que ao me tornar ciente destes movimentos energéticos os pensamentos, sentimentos e emoções) eu tenho a capacidade de não permitir que estes me controlem/manipulem e assim seri capaz de ser realmente livre de escolher/decidir o que dizer/fazer/expressar.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao assumir que eu, estando aqui nesta Terra, "não faço parte (não sou um participante) daquilo que tem lugar na Terra, eu estou na verdade a negar a responsabilidade que tenho perante mim mesmo de me mudar e expressar aquilo que é melhor para todos -- e como tal ser o exemplo daquilo que cada um é na realidade - e assim sendo estou a Participar activamente de uma forma que garante que "a minha parte" fica feita NA TOTALIDADE!

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar como os "monumentos" que existem noutras pessoas são por mim usados para formar "monumentos" para mim mesmo de forma a que eu possa competir para tentar ganhar/vencer --- em vez de realizar que estes "monumentos" fazem com que eu na verdade fique a "anhar" num estado de ilusão no qual eu nem sequer me apercebo/vejo quem realmente sou como Vida como um e igual como tudo e todos e como tal esta idea de "competir" para "ser o maior" não passa de uma luta interna que eu tenho comigo mesmo - pois "os outros" representam quem eu sou, e ao competir com "os outros" eu estou na verdade a competir comigo mesmo!!!

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitito ser/estar/ficar convencido (Con-Vencido) que os "monumentos" (pensamentos/sentimentos/emoções) são reais em vez de realizar que desta forma eu não passo de um "convencido" que acredita "ser o maior" quando na verdade estou é VENCIDO pela CONsciencia (mente/ego) -- e que no fundo nada daquilo que eu acredito ser (os monumentos/memórias) é real!

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido por um fim à construção de todos estes "monumentos" e "derrobar" todos os que em mim existem (memórias) pois estes só causam dores (indicadas em partes específicas do corpo de acordo com o simbolos/monumentos e tudo o que estes representam) -- e assim, das cinzas às cinzas e do pó ao pó, eu serei capaz de ME erger como o UM e IGUAL simbolo/monumento de e da Vida que a todo o momento expressa aquilo que é melhor para todos!



0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket