28 de dezembro de 2012

Dia 123 - Criatividade: Passando de reactivo a Criativo

28 de dezembro de 2012

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que, à imagem e semelhança do "criador", eu sou (também) um criador, e como tal reprimir a minha capacidade criativa é remprimir QUEM EU SOU (a minha "divindade")

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que os pensamentos de passado impedem-me de ser criativo a todo o momento pois estes acabam por determinar/ditar "quem eu sou, o que faço e o que digo" -- e como tal deixo de ser CRIATIVO e passo a ser REACTIVO ao reagir de acordo com o passado.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que só ao me expressar criativamente é que eu sou capaz de ser livre -- pois caso contrário a minha "expressão" não irá passar de uma reacção/repetição dos acontecimentos passados.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao ser criativo eu estou a expressar-me como vida.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que aquilo que eu crio não "me pertence" -- pois para eu ser criativo eu tenho de estar completamente aberto/vulnerável para que a criatividade/vida se expresse através de mim/do meu corpo físico.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que no actual sistema deixámos de ser criativos e passamos a ser possesivos -- Deixámos de criar para passarmos a possuir, e arranjámos leis que defendem e protejem o "direito" a possuirmos "isto e aquilo" (materiais e ideias") -- em vez de realizarmos que o nosso poder criativo é infinito e como tal não existe necessidade de acumular pois, com e como vida, não há escassez pois VIDA é TUDO o que há/existe.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que assim como "Deus" criou "todo este mundo/universo" a partir do nada, para que a nossa criatividade possa ser absoluta/verdadeira/real/genuína é necessário que estejamos também "vazios" sem quaisquer influências passadas (memórias), presentes (pensamentos/sentimentos/emoções) ou futuras (projecções) --- pois o acto de criação dá-se AQUI no momento, assim como nós também só existimos (somos reais) AQUI a cada respiração.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a cre-ACTIVIDADE é a essência de Vida contida na Actividada humana: na qual a nossa expressão vai para além da mentira da mente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a criatividade é impossivel de se expressar através da mente -- pois a mente é um programa (software) e, como todos os programas, estes só fazem aquilo que foram programados para fazer.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a criatividade não é um programa e como tal não pode ser programada.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a criatividade a ser desenvolçvoida para que eu atinja o meu potêncial máximo como um ser humano.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu sou capaz (e DEVO!) de viver/expressar Criatividade a todo o momento ao simplesmente estar AQUI no momento com e como a respiração, ciente de mim mesmo como um Criador, capaz de me expressar como tal.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a VIDA é um processo de constante Criação e como tal a Criatividade é essencial para manter a Criação num constante estado de mudança/desenvolvimento/expansão.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido reprimir a minha criatividade ao estar sujeito à mentIRA da mente que surge sobre a forma de pensamentos, sentimenos, emoções e experiências energéticas. 

Eu perdoo-me por não me ter aciete e permitido usar a minha criatividade para me expandir no sistema como VIDA.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket