28 de dezembro de 2012

Dia 124 - A verdadeira AMIZADE

28 de dezembro de 2012

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido limitar a minha amizade a um reduzido número de pessoas.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido limitar a minha capacidade de ser amigo de TODOS ao apenas ser amigo de umas poucas pessoas.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao não ser amigo de todas as pessoas eu estou a dar mais valor a umas pessoas do que a outras.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido acreditar que para se ser amigo de "toda a gente" é necessário conhecer toda a gente e falar com toda a gente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a amizade é uma capacidade de expressão do ser humano na qual existe uma empatia para com os outros seres humanos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que um Amigo é aquele que é IGUAL.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que um Amigo é aquele que Partilha.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que um Amigo é aquele em quem se pode Confiar.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu posso ser amigo de todos ao me tornar Igual com todos, ao ter a capacidade de partilhar (e fazê-lo!) e ao ser de confiança.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que para ser amigo de Todos basta simplesmente ser um AMIGO DA VIDA!

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao aceitar o abuso existente na terra devido, por exemplo, às consequências e parâmetros do actual sistema monetário --- eu estou na verdade a ser um INIMIGO da Vida - e como tal não posso dizer que sei o que é a AMIZADE.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao aceitar o actual sistema monetário que só causa abuso e destruição --  eu passo a ser incapaz de criar uma verdadeira amizade com um e/ou com todos os seres vivos.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que um verdadeiro acto de amizade é por um fim ao actual sistema socio-económico e estabelecer um que garanta que TODOS os Seres humanos (e toda a Vida no planeta) vivam num constante e consistente acto de Amizade ao garantirmos que o "nosso amigo mais distante" tenha TUDO aquilo que necessita para viver uma vida digna, repleta de alegria e felicidade --- pois é isto mesmo que desejamos aos nossos "amigos (e familiares) mais próximos".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido ser amigo de todos assim como o a Terra e o Sol são amigos de toda a Vida aque nesta Terra --- um constante apoio e suporte, incondicional, providêniando tudo aquilo que necessitamos à Vida.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu serei um verdadeiro Amigo de Toda a Vida ao garantir que a minha expressão viva a cada momento é Um e Igual àquilo que é Melhor para Todos -- e, como tal, melhor para mim!

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que o VERDADEIRO AMIGO é aquele que é UM e IGUAL com e como a Vida/Tudo/Existência.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que AMIGO é aquele que se dedica à vida.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que AMIGO é aquele que perdoa.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que AMIGO é aquele que não aceita nem tolera o abuso, a guerra, a pobreza, a prostituição, abuso animal, escravidão, mentiras etc...

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que AMIGO é aquele que não aceita ser um escravo da sua mente.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket