31 de dezembro de 2012

Dia 126 - ABRANDAR: Viver cada Momento.

31 de dezembro de 2012

Abrandar é essencial.

O actual sistema económico define toda a nossa sociedade - o que fazemos, quando fazemos, porque fazemos, como fazemos...

Devido ao parametro por nós estabelecido que diz que "sem dinheiro não temos direito à vida" o dinheiro que possuimos é o que nos define a vida. E quanto mais dinheiro tivermos mais extensivamente nos podemos definir. Como tal, devido ao facto de vivermos num mundo de recursos e tempo finitos, isto leva a que a nossa definição esteja dependente desta limitação -- e como tal chegamos à conclusão que "TEMPO/RECURSOS é DINHEIRO". Isto, por sua vez, obriga a que, para que possamos dar o "máximo de valor" às nossas vidas, andemos numa constante correria/pressa -- pois "cada segundo conta"! Esta PRESSA exerce enorme PRESSÃO nas nossas "vidas" - e é por isso que acabamos por valorizar tanto o entertenimento que tanto nos "descontrai/descomprime". Quando nem o entertenimento é suficiente entramos num estado de DEPRESSÃO (de-Pressão).

Como vemos o estado de Depressão é o resultado de um sistema que nos coloca em constante pressão. Esta pressão é mais perigosa quando toma a forma Mental. "Deprimido" é aquele que se encontra constantemente na sua mente, sobre a pressão dos seus pensamentos, sentimentos, emoções, experiências energéticas e reacções geradas pela mente. Esta constante pressão, que apesar de transparecer físicamente como "inactividade", é na verdade muito intensa, forte, constante e muito convincente de que é real. Na verdade, na mente do indivíduo deprimido, existe uma constante correria de pensamentos, emoções, sentimentos, energias e reacções geradas pela mente -- que, por último, acabam por se transformar numa expressão física = a mente torna-se física.

Assim sendo vê-se que ABRANDAR é essencial para uma participação eficaz neste mundo físico.
A mente tem sempre a tendência a apressar tudo: na mente somos capazes de fazer mil e uma coisas num só momento. No físico as coisas não são assim: Só podemos fazer uma coisa de cada vez. Este texto que escrevo está a ser escrito palavra a palavra. Nós mantemo-nos vivos Respiração a Respiração = passo a passo.

Ao Abrandarmos começamos a ver como temos uma grande tendência a querer fazer tudo à pressa. Começamos a ver como acabamos por criar uma enerme pressão para nós mesmos.

A realidade é o seguinte: Por mais que queramos que as coisas sejam diferentes, estamos numa realidade na qual os eventos/acontecimentos/momentos têm o seu EXCLUSIVO lugar em certo e determinado tempo e Espaço. Vivemos num mundo linear - e para andarmos "na linha" temos de precorrer cada momento na sua totalidade. ABRANDAR é a chave para vivermos uma Vida na Totalidade.

Ao abrandarmos começamos a ver quais são os pensamentos que, acumulados, nos irão colocar sobre enorme pressão.
Ao abrandarmos estaremos presentes em cada momento - vivêndo-os na totalidade.

Quantas vezes já deste por ti a fazer uma coisa e a pensar noutras coisas que tens de ir fazer? Nessa altura nem estás a fazer o que estás a fazer, nem estás a fazer o que vais fazer -- estás simplesmente a criar pressão que tem de ser libertada -- e como tal acabas por fazer o que estás a fazer à pressa!

Uma coisa a deixar claro é o seguinte: Abrandar não significa fazer as coisas lentamente. Abrandar significa "não apressar". Abrandar  é silênciar a mente eestar presente no momento. Abrandar significa ser-se gentileza - mas até mesmo a corrida dos 100 metros se pode fazer com gentileza. Abrandar significa ser-se gracioso.

Abrandar é uma calma que começa coma respiração, transpareçe para o "estado mental" e transforma-se numa expressão física.

A tartaruga é um bom exemplo de o que significa abrandar. Na água é graciosa - pode ser lenta, pode ser rápida. Os seus movimentos são gentins. Ao comer é capaz de executar movimentos rápidos - e logo depois fica quieta. Fora da água é lenta, movendo-se passo a passo, com a certeza que irá chegar o momento em que irá voltar à água.

Sê a tartaruga por um dia e irás ver como a Vida tem outra "magia".

 Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido andar numa constante pressa, em ver de abranDAR e me DAR a oportUNIDADE de Viver Aqui em Unidade e Igualdade com e como cada Momento.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido antecipar os acontecimentos - em vez de realizar que ao os antecipar estou na verdade a perder a oportunidade de viver aqui na totalidade, presente com cada respiração, um e igual com e como o momento, absoluto na minha expressão física.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido estar a fazer uma coisa e começar a pensar noutras coisas - em vez de estar presente na tarefa que estou a executar.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a mente mente ao me fazer acreditar que eu sou capaz de fazer mais do que uma coisa ao mesmo tempo.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido acreditar no sentimento que diz "eu devia estar a fazer outra coisa" que só resulta num sentimento de culpa que por sua vez me leva a apressar -- e assim nem acabo por fazer as coisas "como deve ser".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao abrandar eu sou capaz de VER se estou a criar pressão para mim mesmo ou não.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao abrandar eu sou capaz de VER se estou a ser honesto comigo mesmo ou não.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao estar brANDO serei capar de "ANDAR" eficazmente -- passo a passo completando as tarefaz, expressando-me em honestidade prórpia sem permitir que a mente me coloque sobre pressão.

Eu perdoo-me pro não me ter aceite e permitido realizar que ao abrandar eu encontro uma paz/calma em mim mesmo que faz com que eu seja capaz de ser mais eficaz e directo nas minhas palavras/acções.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao abrandar eu encontro um ponto dentro de mim no qual eu sou capaz de me dar total e absoluta direcção.

Quando e assim que me vejo a apressar/stressar -- eu páro e respiro. Nesse momento abrando e vejo em senso comum o que tem de ser feito e QUAM eu sou Como vida nesse momento - -e como tal expresso-o, na totalidade.

Quando e assim que me vejo a acreditar que a experiência/sentimento/emoção/energia da "Pressa" é real -- eu páro e respiro. Nesse momento abrando e realizo que eu sou capaz de MUDAR a minha experiência nesse mesmo momento de forma a criar para mim mesmo uma paz e calma que me farão ser eficaz e preciso ao executar o que tenho a fazer, passo a passo.   

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket