3 de janeiro de 2013

Dia 130 - CONFIANÇA: O Perdão Próprio

3 de janeiro de 2013

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido confiar na minha capacidade de me dar direcção ao estar aqui presente a cada momento da respiração.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sabotar-me ao permitir que os meus pensamentos, sentimentos, experiências energéticas e reacções me controlem em vez de confiar em quem eu sou como vida ao estar aqui presente a cada momento da respiração, capaz de me dar direcção.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu não confiar em mim passo a criar a desculpa e justificação para não ser honesto comigo mesmo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu não for honesto comigo mesmo então não posso confiar em mim -- como tal, ao confiar em mim mesmo eu tenho obrigatóriamente de ser honesto comigo mesmo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido que eu só irei não confiar em mim ao permitir que a mente defina quem eu sou e o que eu faço.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao permitir que a MENTE me controle/domine será uma MENTE-ira eu poder confiar em mim.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim eu não entro em stress.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim eu não terei medo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim eu não entrarei em ansiedade.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim não existem momentos de indecisão.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim eu não me julgo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim eu não me irei colocar numa situação na qual eu não sei quem sou nem o que irei fazer/dizer.

EU perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim eu não permitirei que complicar-me a vida ao permitir que os pensamentos, sentiemntos, emoções, experiências energétias e reacções me controlem.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao confiar em mim eu irei para além da "zona de conforto" da minha mente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que sem confiança em mim mesmo eu só irei criar para mim mesmo situações que darão origem a arrependimento, lamento, vergonha, medo, incerteza, stress, ansiedade -- e tudo isto fará com que eu me diminua.

Quando e assim que me vejo a sabotar a minha confiança - eu páro e respiro. Nesse momento realizo que se eu não confiar em mim a cada momento da respiração eu serei um escravo da mente, serei deshonesto comigo mesmo e irei acabar viver numa ilusão: A ilusão de que eu não sou capaz de ser honesto comigo mesmo VIVENDO em Unidade e Igualdade.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket