27 de janeiro de 2013

Dia 148 - Ultrapassar: Ir para além da Mente

27 de janeiro de 2013


Em certas alturas "passamo-nos" com certas coisas: Ficamos fartos e acabamos por nos deixamros ir a baixo. Fazemo-nos de coitadinhos, acreditamos que temos de sofrer, aceitamo-nos como deprimidos... Fazmos tudo menos ir para além do sentimento/experiência de inferioridade...

Neste blog quero falar de ULTRAPASSARMOS as resistências -- em vez de "nos passarmos".

Só nos "Ultra-Passamos" quando chegamos ao ponto em que "já não podemos mais com as nossas tretas" -- só nos "Ultra-Passamos" quando chegamos a um ponto em que não dá mais para continuar a existirmos da mesma forma....

Eu estou a chegar a esse ponto...

Eu vejo que enquanto não chegar o dia em que eu não posso mais de maneira nenhuma continuar a ser este "João" -- só nesse dia é que eu "me vou PASSAR" verdadeiramente: Vou me "Ultra-Passar" ---> vou quebrar as barreiras (resistências) e nada me irá parar.

Eu tenho a certeza que todos nós já tivemos estes momentos nas nossas vidas -- mas normalmente são acontecimentos pequenos em que, possivelmente, mudamos um pequeno aspecto do nosso ser.

Lembro-me que à uns 7 anos atrás, ao falar com a minha namorada na altura ao telefone, "passei-me verdadeiramente", mandei com o telemóvel à parede e parti o visor... Olhei-me ao espelho e disse para mim "Nunca mais vou repetir estes erros"... Pouco tempo depois a relação acabou. Estive sozinho durante uns 2 anos, e depois começei a namorar com uma rapariga que é hoje a minha esposa.
No momento em que atirei com o telemóvel à parede eu sabia o que é que eu NÃO queria num relacionamento. Antes de eu e a Joana (minha esposa) começarmos a namorar eu felei-lhe das minhas más experiências e disse-lhe o que pretendo de um relacionamento. Estamos juntos à 4 anos, vivemos juntos à 3 anos e casámos à 3 meses  - e apesar de termos tido os nossos desentendimentos que em menos de 12 horas estavam resolvidos --> estamos cada vez melhor, cada vez mais fortes, cada vez mais unidos, cada vez mais dedicados a criármos uma relação na qual o melhor de cada um "vem à flor da pele" a cada momento e o pior de cada um deixa de existir.
Moral da história: foi preciso eu "passar-me" para me casar... Lol

Este processo do perdão próprio é um constante processo de Ultrapassarmos os vários sistemas da mente/programas/hábitos/padrões que não nos permitem expressar o nosso potêncial = VIDA em Unidade e Igualdade.

Podemos dizer que "Ultrapassar" é o mesmo que "Transcender" --> "Transcender" é muito semelhante a "Ascender".
Quem "Ascende" é aquele que se "eleva" = É aquele que se "Expande", é aquele que "Cresce" --> é aquele que vai para além daquilo que foi programado para ser.

Cada vez mais as barreiras que me impedem de "crescer"/"expandir" tornam-se evidentes. E eu não estou mais para tolerar a repetição dos mesmos erros.

A pergunta que me coloco é: Quanto mais tempo é que eu preciso de continuar neste estado/experiência até chegar o ponto em que eu "não posso mais" e vou-me "Ultra-Passar"? Será que é necessário eu chegar a esse ponto?
Não, claro que não. Eu posso fazer a minha vida bem mais simples para mim mesmo ao não acumular mais esta experiência na qual só me estou a destruiir/diminuir ao simplesmente MUDAR, a cada momento da respiração, garantindo que eu não cometo os mesmos erros, garantindo que não continuo com os mesmos comportamentos/hábitos.

Eu sei que não é fácil.. É por isso que se chama "Ultrapassar" --> tenho de ir para além das resistências que me mantêm um escravo da mente.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido continuar a deliberadamente criar para mim mesmo situações que eu sei perfeitamente só me causam mais dor, angustia e que acabam por destruir a minha confiança em mim mesmo.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido pensar que eu tenho de me continuar a "passar comigo mesmo" para chegar ao ponto em que "não aguento mais" em vez de realizar que EU é que DECIDO quando é que esse momento chega.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido disTRAIR-me daquilo que tenho de fazer em vez em vez de realizar que esta disTRAÇÃO é uma resitência (tracção) que "me tenta" impedir de ir para além daquilo que eu acredito ser!

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ter medo de Ultrapassar as minahs resistências.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido puxar por mim descobrir o que está para além do medo ao Ultrapassar as resistências que tenho em mudar.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido continuar a criar os mesmos erros, aceitando-os através de desculpas e justificações em vez de realizar que eu só estou a fazer mal a mim mesmo -- e que é bem menos doloroso se eu enfrentar as resistências e mudar-me de forma a que eu não volte a repetir o meu passado outra e outra vez....

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido procurar entertenimento de forma a tentar esquecer a forma como as coisas não estão bem e se eu não fizer nada para mudar, só irei sofrer mais ---> apesar de o próprio entertenimento ser algo que me faz estar en conflito comigo mesmo pois eu sei perfeitamente que eu deveria de estar a fazer outras coisas!!

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido criar em mim mesmo a determinação necessária para ultrapassar/transcender os pontos que me continuam a causar raiva, amargura, desilusão e arrependimento.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido acreditar que que eu ainda não sou capaz de ultrapassar/transcender certos pontos em vez de realizar que EU DECIDO! EU sou RESPONSÁVEL.

Quando e assim que me vejo a pensar que "não consigo" e que ainda me posso dar ao "luxo" de continuar na mesma: Eu páro e respiro. Nesse momento realizo que tem sido esse mesmo padrão/hábido/pensamento que me tem mantido na mesma durante tantos anos!!

Quando e assim que me vejo a ter resistências em mudar/ultrapassar/transcender: Eu páro e respiro. Nesse momento realizo que se não houvesse resistência a mudança não seria real -- e como tal isto é o indicador de que eu tenho de puxar por mim pois a mudança está para lá da resistência!

Quando e assim que me vejo a adiar mudar: Eu páro e respiro. Nesse momento eu realizo que é isso que eu tenho sempre feito e é isso que me tem causado cada vez mais amargura e arrependimento -- e como tal eu tenho de puxar por mim para por um fim a esta amargura e arrependimento!!!

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido continuar a criar arrependimento ao me permitir continuar com os mesmos comportamentos, permitindo que as resistências "levem a melhor" e como tal permitindo-me ser um escravo da mente.

Eu dedico-me a ir para além das resistências.

Eu dedico-me a parar as desculpas e justificações que me mantêm na mesma.

Eu dedico-me a ULTRA-PASSAR o meu Ego/mente a cada momento, ao estar aqui presente com e como a respiração, dando-me direcção, garantindo que a minha expressão reflete a mudança que eu pretendo!




0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket