22 de fevereiro de 2013

Dia 165 - Sono: Perdão Próprio - Primeira Parte

22 de fevereiro de 2013


Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu faço as coisas porque "me apetece" ou porque "tenho vontade" -- então estou na verdade a ser controlado pela mente e não sou o princípio directivo da minha acção --> logo nºão tenho poder nenhum.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que tudo o que eu faço tem de ser DECISÃO minha, de quem eu sou como Vida, de quem eu sou em auto correcção.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que quando eu me dou direcção e permaneço disciplinado em viver a mente irá tentar recuperar o controlo ao me "tentar" nos pontos mais fracos -- pois a minha mente, por agora, conhece-me melhor do que eu me conheco a mim mesmo PORQUE eu passei a maior parte da minha vida sob o seu controlo - eu nem sequer sabia do que se estava realmente a passar.

Quando acabei de escrever o blog já estava bem mais acordado - o sono já não era tão intenso.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar quequando experiêncio um sono extremo - que quase me põe a dormir de imediato - então é porque a mente está a tentar tomar controlo sobre a minha existência.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que se eu me permitir ir dormir quando sinto sono então estou a permitir que a mente me seja o meu "mestre" e eu o seu "escravo".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que para garantir que eu não me permito que a mente defina o meu último momento do dia - quando eu vou dormir - é essencial que SEJA EU A DECIDIR ir dormir - e nesse momento eu NÃO POSSO estar com sono - pois SENTIR SONO, eu realizo, não passa de um sistema da mente.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que dormir porque se têm sono é na verdade a limentar a mente. Eu realizo que que dormir não passa de um descanso que se dá ao CORPO físico.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que quando me dou direcção a ir dormir eu estou a criar também, até certo ponto, a minha direcção própria em me levantar no dia a seguir sem qualquer problema, num só momento, sem sequer ser necessário o alarme.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido puxar por mim para não permitir que a minha mente faça com que eu vá dormir através da experiência de ter sono.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que por mais intensa que seja a experiência de ter sono - com o a visão turva e olhos a fecharem-se - eu sou SEMPRE capaz de ir para além dessa experiência ao puxar por mim a me manter AQUI no físico. No entanto isto não significa que eu deixo de dormir e só faço directas --> não. Eu durmo todos os dias sabendo que o meu corpo físico necessita de descansar.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido julgar-me como fraco por sentir sono.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que transcender este ponto do sono não é fácil porque tem sido durante a minha vida um sistema que tem definido fortemente quem eu sou como um sistema de mente consciente.
  
Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar da importancia de estar ciente da minha respiração durante o dia de forma a que eu não me permita PENSAR -- pois se o fizer irei alimentar a mente o que fará com que seja difícil levantar-me porque eu me permiti ser controlado na mente - e no momento de acordar também terei a tendência  a ficar na cama e dormir.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido acumular a cada momento do meu dia Quem Eu Sou como Vida, um e igual com o Físico/Respiração.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar da importância do momento em que me deito --> pois se este não for feito em direcção própria e em honestidade própria irei fazer com que no dia seguinte seja mais provável que eu também não me dê direcção própria nem seja honesto comigo mesmo.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que a CADA VEZ QUE ACORDO cabe-me a mim DAR-ME DIRECÇÃO, sem usar o dia anterior como uma desculpa ou justificação para me SENTIR "Bem" ou "Mal" em me levantar.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que enquanto eu permitir que haja uma polaridade  em relação ao acordar (Bom/Mau) eu irei continuar um escravo da mente.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido SENTIR-me bem comigo mesmo de uma forma ENERGÉTICA quando "Me levanto", sentindo que "me estou a portar bem" -- em vez de realizar que isto não passa da experiência energética oposta ao sentir-me mal comigo mesmo por dormir demasiado.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que ao me levantar não posso estar com a esperança de me SENTIR bem por ter dormido pouco --> pois isso só revela que eu continuo a a alimentar a mente com energia.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido simplesmente acordar e dar-me direcção, como "se nada fosse", sem criar qualquer tipo de experiência positiva por ter dormido pouco -- e à medida que eu torno isto parte da minha aplicação diária eu deixo de pensar sobre isto e como tal não alimento nenhuma das polaridades do sistema.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido sentir-me mal comigo mesmo se dormir demasiado e eu perdoo-me por me per aceite e permitido SENTIR-me bem comigo mesmo por ter dormido pouco, em vez de realizar que esta polaridade é em si o mesmo sistema -- o que quer dizer que este sistema só existe porque eu participo numa polaridade que por vez cria a outra polaridade.



0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket