29 de junho de 2013

Dia 208 - Paranoia: Espiritualidade (Religião não Institualizada)

29 de junho de 2013 0
Definição de Paranoia na Wikipedia:

"A Paranoia é um processo de pensamento que se acredita ser imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente até ao ponto de irracionalidade e delírio.
O pensamento Paranoico inclui, tipicamente, crenças de preseguição, ou crenças de conspiração relacionadas com uma percepção de ameaça contra o próprio. (ex: "Eles estão à minha caça.")
Fazer falsas acusações e uma desconfiança geral pelos outros é também acompanhada pela paranoia. Por exemplo, um incidente que a maioria das pessoas veria como acidente ou coincidência, uma pessoa paranoica acredita ser intencional.
História
A palavra "Paranoia" vem do Grego παράνοια (paranoia), "loucura".
O termo foi inicialmente usado para descrever uma doença mental na qual uma crença delirante é a característica dominante.
Nesta definição, a crença não tem de ser baseada na "preseguição" para ser classificada como "paranoica" - portanto, qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia. Por exemplo, uma pessoa que sómente tem a crença delirante de que é uma figura religiosa importante seria classificada por Kraepelin como possuindo "paranoia pura".
(...)
Mesmo nos tempos que decorrem, um delírio não necessita ser "suspeitoso" ou fundado em "medo" para ser classificado como "paranoico".
Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquitzofrénico" sem possuir delírios de "preseguição", simplesmente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos."

Existem uns pontos que quero salientar para demonstar mais eficazmente como a Espiritualidade é na verdade Paranoia:
"A paranoia é um processo de pensamento (...)"

"A paranoia é um processo de pensamento imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente ao ponto de irracionalidade e delílio"

"(...) qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia"

"Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquizofrénico" (...) simplemente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos"

Para trazer ainda mais claridade ao assunto quero também aqui deixar a definição de "delírio":
"Um delírio (às vezes denominado delusão) é caracterizado por crenças mal fundamentadas fortemente enraizadas na vida de uma pessoa e que causem prejuízo significativo para si mesmo ou para outros."

Definição psiquiátrica de "delírio":
"Uma falsa crença baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa que é sustentada com firmeza (...) apesar do que se constitui em prova incontroversa e óbvia de evidência em contrário."

PROBLEMA:
  
No seguimento da Paranoia Religiosa temos a Paranoia Espiritual.

A Paranoia Espiritual é essencialmente o mesmo que a Religiosa - a única diferença reside na não existência de nenhuma instituição nem de rituais nem de crenças específicas: Cada um faz o que lhe convém - que, na verdade, não é muito diferente dos Religiosos: Cada um acredita em "Deus" à sua maneira...

Muitos "espirituais" também usam a palavra "Deus" para descrever o "ser/força" superior -- mas muitos usam palavras tais como "Universo", "Origem", "Todo", "Consciência", "Amor" etc...

Em vez de "rezas" os "espirituais" utilizam "pensamentos positivos" -- nos quais colocam também a responsabilidade e a esperança de que estes irão "mudar o mundo".

Em vez de "beberem vinho" os "espirituais" (não todos, mas muitos...) usam um outro tipo de "espíritos": drogas tais como canábis, haxixe, LSD (ácido), MDMA (ecstasy), cogumelos mágicos, salvia, ayahuasca, etc... Qualquer coisa que coloque o ser humano num estado de consciência alterado é utilizado como uma forma de entrar em "contacto" com "Deus"/"Universo"/"Todo" -- mas na verdade a única coisa com a qual formam uma ligação mais forte é com as suas próprias mentiras chamadas "Mentes".

Em vez de irem à Igreja e deixarem lá o seu dinheiro os "espirituais" gastam dinheiro em Livros e em DVDs de meditação e de auto-motivação, assim como também, depois de muita leitura e muitos videos, escolhem seguir um "guru" e chegam até mesmo a se isolarem do mundo em "retiros espirituais" onde aparentemente existe uma grande paz e harmonia -- é uma espécie de Igreja/Mesquita/Templo no qual os Espirituais se esquecem de toda a Realidade e fundem-se a fundo com as suas próprias Paranoias/Delírios.

Assim como os "religiosos", os "espirituais" também têm as suas crenças em relação a quem são, como chegaram aqui e como são as coisas "depois da morte" -- e nesta área a maioria acredita que na "hora H" voltam para "Casa" onde "tudo faz sentido" e onde a "paz reina" - enquanto que aqui na Terra continua tudo num caos...

Uma das maiores Paranoias da Espiritualidade é a crença de que este mundo físico é uma ilusão -- e que a única coisa que é real é a "Consciência". O que é interessante é que mesmo com tanta "fé" nesta crença, estes "espirituais" não deixam de respirar, nem de comer, nem de dormir -- muito menos se vêm livres do seu dinheiro e das suas posses --> o que quer dizer que apesar de tudo isto "ser ilusão" eles preferem continuar na "ilusão", a participar na "ilusão", a fazer parte da "ilusão". A forma como este DELÍRIO é justificado e aceite por aqueles que o criam é uma das maiores formas de auto-decepção que o ser humano alguma vez conseguiu criar.

A meditação é o mesmo que uma reza: Pois uma pessoa acaba por não fazer nada e acredita que fez muita coisa. A forma como os Espirituais se iludem ao crerem que meditar muda a situação no mundo só lhes leva a terem uma falsa impressão que é o melhor que podem fazer - e depois nada fazem!
A meditação é também usada para criarem um "lugar" nas suas mentes na qual reside um "silêncio" que, aparentemente, é "quem nós somos". Não é verdade: Esse "lugar de silêncio" é algo criádo pela mente, e é por isso que a meditação requer PRÁTICA - pois é só com o tempo que se consegue criar esse "lugar" onde uma pessoa se pode "refugiar" da Desonestidade que a Define - e depois "sente-se bem" consigo mesma. 
É tudo uma Paranoia para se EVITAR Enfrentar e Lidar com o que Realmente se Passa nesta Realidade!

SOLUÇÃO:

A Solução que irá por um fim a esta Paranoia é a mesma que põe também um fim à Paranoia Religiosa: A realização de que nós somos o Físico - e que todas as experiências energéticas que se manifestam sob a forma de pensamentos, sentimentos e emoções são na verdade aquilo que nos separa da VIDA e que usamos para criar todo o tipo de fantasias/delírios/paranoias que por sua vez nos levam a vivermos em mundos de ilusão.

A Solução é utilizar o Senso Comum para se ver que mais de 50 anos de Espiritualidade não se prestaram como Solução nenhuma para os problemas no mundo -- muito pelo contrário, só causaram que milhões e milhões de pessoas se afastassem da realidade dos problemas socio-económicos do mundo - ironicamente ao alimentar a máquina capitalista ao consumirem centenas (senão milhares!) de milhões de livros "espirituais" que transformam o leitor num Zombie que, como qualquer "bom Zombie", abdica de toda a Responsabilidade que tem como um elemento da sociedade.

RECOMPENSA:

A recompensa é a possibilidade da tomada de Responsabilidade pelo Próprio e uma possível Mudança que resulte na Realização e Criação de um Mundo Melhor Para Todos

A recompensa é a possibilidade de REALMENTE SE CRIAR um Sistema que Valorize toda a Vida de Igual forma COMO a expressão Viva daquilo que os Espirituais tanto se dizem Ser: "Amor".

AMOR é a Expressão Viva Daquilo que É Melhor para Todos!

Dia 207 - Paranoia: Religião

Definição de Paranoia na Wikipedia:
"A Paranoia é um processo de pensamento que se acredita ser imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente até ao ponto de irracionalidade e delírio.
O pensamento Paranoico inclui, tipicamente, crenças de preseguição, ou crenças de conspiração relacionadas com uma percepção de ameaça contra o próprio. (ex: "Eles estão à minha caça.")
Fazer falsas acusações e uma desconfiança geral pelos outros é também acompanhada pela paranoia. Por exemplo, um incidente que a maioria das pessoas veria como acidente ou coincidência, uma pessoa paranoica acredita ser intencional.
História
A palavra "Paranoia" vem do Grego παράνοια (paranoia), "loucura".
O termo foi inicialmente usado para descrever uma doença mental na qual uma crença delirante é a característica dominante.
Nesta definição, a crença não tem de ser baseada na "preseguição" para ser classificada como "paranoica" - portanto, qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia. Por exemplo, uma pessoa que sómente tem a crença delirante de que é uma figura religiosa importante seria classificada por Kraepelin como possuindo "paranoia pura".
(...)
Mesmo nos tempos que decorrem, um delírio não necessita ser "suspeitoso" ou fundado em "medo" para ser classificado como "paranoico".
Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquitzofrénico" sem possuir delírios de "preseguição", simplesmente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos."

Existem uns pontos que quero salientar para demonstar mais eficazmente como a Religião é na verdade Paranoia:
"A paranoia é um processo de pensamento (...)"

"A paranoia é um processo de pensamento imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente ao ponto de irracionalidade e delílio"

"(...) qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia"

"Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquizofrénico" (...) simplemente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos"

Para trazer ainda mais claridade ao assunto quero também aqui deixar a definição de "delírio":
"Um delírio (às vezes denominado delusão) é caracterizado por crenças mal fundamentadas fortemente enraizadas na vida de uma pessoa e que causem prejuízo significativo para si mesmo ou para outros."

Definição psiquiátrica de "delírio":
"Uma falsa crença baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa que é sustentada com firmeza (...) apesar do que se constitui em prova incontroversa e óbvia de evidência em contrário."

Definição de Religião:
Religião (especula-se várias origens.1 Detalhes na seçãetimologia) é um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e seus próprios valores morais.2 Muitas religiões tênarrativassímbolostradições e histórias sagradas que se destinam a dar sentido à vida ou explicar a sua origem e do universo. As religiões tendem a derivar a moralidade, a ética, as leis religiosas ou um estilo de vida preferido de suas ideias sobre o cosmos e a natureza humana.
A palavra religião é muitas vezes usada como sinônimo de fé ou sistema de crença, mas a religião difere da crença privada na medida em que tem um aspecto público. A maioria das religiões têm comportamentos organizados, incluindo hierarquias clericais, uma definição do que constitui a adesão ou filiação, congregações de leigos, reuniões regulares ou serviços para fins de veneraçãoou adoração de uma divindade ou para a oração, lugares (naturais ou arquitetônicos) e/ou escrituras sagradas para seus praticantes. A prática de uma religião pode também incluir sermões, comemoração das atividades de um deus ou deuses,sacrifíciosfestivaisfestastranseiniciaçõesserviços funeráriosserviços matrimoniaismeditaçãomúsicaartedança, ou outros aspectos religiosos da cultura humana.

PROBLEMA:

A Religião é uma "legião" de processos de pensamento fundados no culto (cultura) de crenças.

Para termos uma melhor noção do que é a Paranoia Religiosa é necessário investigarmos o significado da palavra "Crença", pois sem esta palavra a Religião não existiria:

Crença:
"Em filosofia, mais especificamente em epistemologiacrença é uma condição psicológica definida pela sensação de veracidade relativa a uma ideia, a despeito de sua procedência ou possibilidade de verificação objetiva. Logo, pode não ser fidedigna à realidade e representa o elemento subjetivo do conhecimento."

Como se pode ver, a crença é uma "condição psicológica" -- o que faz da Religição uma "condição psicológica" também -- o que por sua vez faz da ideologia/crença da Existência de "Deus" uma "condição psicológica" também.
Portanto: Se o psico humano não existir, então, por definição, não existem condições psicológicas, o que por sua vez indica que não existem crenças, logo a religião não existe, e, como tal Deus não existe.

Isto é mais que obvio: A religião é uma criação humana -- assim como o conceito de "Deus". Não existe mais nada neste mundo a não ser o homem que dedica bastante do seu tempo com rituais religiosos em nome de uma condição psicológica por ele mesmo criada -- não só é Paranoico como também é estranho e estúpido.

Vejamos a definição de "Deus" (definição esta que não passa de umaconcepção humana!)
"Deus é desde a sua origem a divindade central na mitologia monoteísta abraâmica, da qual derivam-se entre outras as mitologias das principais religiões da atualidade, explicitamente o cristianismo, o judaísmo e o islã. "Deus" é notoriamente definido em modernidade segundo as perspectivas de tais religiões monoteístas, sobretudo no ocidente, e nelas foca-se o presente artigo.
Deus muitas vezes é expressado como o Criador e Senhor do Universo. Teólogos têm relacionado uma variedade de atributos utilizados para estabelecer as várias concepções de Deus. Os mais comuns entre essas incluem onisciênciaonipotência,onipresençabenevolência ou bondade perfeita, simplicidade divinazelosobrenaturalidadetranscendentalidadeeternidade e existência necessária."


 Agora, reparemos na evidência física real do estado do mundo e apliquemos a definição de "Deus" no seu contexto:
"Deus" está em todo o lado - omnipresença. Existe um constante sofrimento neste mundo. Logo, "Deus" existe nesse mesmo sofrimento, "Deus" é esse sofrimento. No entanto, "Deus" é também "benevolência" ou "bondade perfeita" -- aqui existe uma clara contradição.
Mais: Se "Deus" é "todo poderoso" (omnipotente) e se "Deus" é também benevolente, então porque é que "Deus" não põem fim a todo o sofrimento? Porque é que "Deus" criou o sofrimento em primeiro lugar? Se o criador, a criação e o criado são a mesma coisa, então "Deus" é também o sofrimento e toda a maldade que existe no mundo. Se assim é, então a definição entra em conflito consigo mesma!

Como é que é possivel um indivíduo chegar ao ponto de Justificar no seu Processo de Pensamento esta contradição toda? Tal só é possível de uma forma: PARANOIA! --> Reparem na definição: "A Paranoia é um processo de pensamento imensamente influenciado pela anxiedade ou medo, frequentemente ao ponto de irracionalidade ou delírio".
Todos nós sabemos que o Medo tem um papel fundamental para que a religião "faça sentido" na mente do religioso -- ou melhor, na mente do Paranoico.

De acordo com a definição, a Religião (e a crença em Deus) é um delírio: "Um delírio (às vezes denominado delusão) é caracterizado por crenças mal fundamentadas fortemente enraizadas na vida de uma pessoa e que causem prejuízo significativo para si mesmo ou para outros." ---> Não nos esqueçamos do numero exorbitante de mortes e sofrimento causado pela Religião e/ou em "nome de Deus".

Vejamos uma outra dimensão de sofrimento causado pela Religião/Crença em Deus: De acordo com esta (Religião), "Deus" tem um "Plano Divino" - e tudo o que acontece faz parte deste plano, nada acontece sem a sua permição. Desta forma os "Religiosos" justificam o estado do mundo e não tomam responsabilidade  para mudar as coisas -- é muito mais fácil "rezar" e pedir a "Deus" que "faça qualquer coisa". Isto leva-me a expor um outro ponto de Paranoia: "Falar" com "amigos imaginários" é "loucura", mas "falar com "Deus" é "Rezar". O que diferência estes dois "amigos imaginários" é o facto de que "Deus" é o "amigo imaginário" comum a uma grande parte da população -- "amigo" este que tem sido passado de "pais para filhos".

A existência de "Deus" é tão real como a existência do "Pai Natal" ou do "João Papão": é uma "falsa crença baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa que é sustentada com firmeza (...) apesar do que se constitui em prova incontroversa e óbvia de evidência em contrário." ---> noutras palavras, um DELÍRIO.

SOLUÇÃO:

Esta Paranoia é muito dificil de transcender porque aqueles que a têm criáram toda a sua vida/existência em redor desta Paranoia: arranjaram formas muito complexas de justificarem as suas crenças e toda a lógica e todos os factos são "irrelevantes" -- isto porque a "fé" está para além de todas as provas empíricas.
A "fé" é uma experiência energética gerada pela mente -- o facto que os "crentes" não sabem explicar exta experiência parece também não ter qualquer relevânica -- aliás, é exactamente por não a saberem explicar que ainda lhe dão mais valor! Pura irracionalidade...

O problema de toda esta Paranoia reside no facto de que aqueles por ela afectados ACREDITAM Ser os pensamentos, as emoções e os sentimentos que justificam a "fé" e a "crença" em "Deus". A incapacidade de conseguirem explicar a origem e a formação destes nem sequer é tida em conta. Basta um pouco de Senso Comum para por um fim a esta Paranoia que não é diferente de qualquer outra Paranoia que, por definição, é o resultado de um "Processo de Pensamento".

Reparemos no Senso Comum: A linguagem é algo que nos é ensinado. Se não fosse esta linguagem não seriamos capazes de criar o conceito de "crença" nem de "fé" nem de "Deus" - e como tal a religião não existiria. Reparemos que o que inicialmente permite que a religião se mantenha viva são os LIVROS -- livros estes que sem a as palavras que definem um a língua não existiriam. Com a existência da linguagem, que são simbolos, é possível ao Ser Humano criar associações energéticas às palavras -- estas associações são os "sentimentos" e "emoções" (que são também simbolos) que demoram algum tempo a serem criádos, principalmente através das rezas. Não é por acaso que as "rezas" são uma repetição dos simbolos chamados "palavras" -- e eventualmente estas acabam por criar a experiência energética chamada "fé" que, aparentemente, não têm explicação -- mas a verdade é que esta foi criada através da reza e através da participação em rituais.

A SOLUÇÃO é a realização de que nós não somos os pensamentos, sentimentos nem emoções que ACREDITAMOS SER. Estes são o resultado daquilo que NOS FOI ENSINADO -- aquilo que em nós nos foi PROGRAMADO!
Não é por acaso que o filho de pais Cristãos têm a tendência a ser "Cristão" -- o mesmo se aplica aos Muçulmanos, aos protestantes, aos Amish, aos Judeus, aos Budhistas, aos Taoistas etc...

REALIZA: Quem Tu Realmente És não se encontra contido nem limitado pelas experiências energéticas geradas pela mente chamadas pensamentos, sentimentos e emoções! Uma da sprovas clara disso é que quando eras bebé não sentias nem pensavas em nada daquilo que hoje em dia pensas! No entanto existias, estavas Aqui nesta Realidade Física a Respirar!

A SOLUÇÃO é a realização que somos o físico, pois é esta Terra, o Sol e a Lua que permitem a nossa existência. São os nossos corpos físicos que permitem que criemos os Pensamentos, Sentimentos e Emoções que usamos para criar todos os tipos de Paranoia. Independentemte da religião/paranoia/crença -- todos nós precisamos de respirar, de comer, de dormir, de defecar e urinar. Estes parâmetros que definem a nossa existência SÃO REAIS -- e o grande problema é que em nome de Paranoias (tais como a religião) continuamos a justificar e a desculpar todo o abuso e sofrimento dos corpos físicos humanos (já para não falar dos animais e plantas...)

A SOLUÇÃO é tomar RESPONSABILIDADE! Enquanto "Deus" existir como um conceito religioso nunca os crentes irão tomar responsabilidade.

Uma coisa é certa: Se não te Criares como Um e Igual a "Deus" --> o que é certo é que NUNCA terás a certeza da Sua existência. Só ao te Criares como "Deus" é que irás Honrar o Poder que tens como Ser Humano: Tornares-te A PALAVRA VIVA como AQUILO que É MELHOR PARA TODOS. Fazê-lo é um processo: Um processo de Purificação das Palavras que te definem - e por consequência purificares o "teu ser". A Bíblia começa da seguinte forma: "No início existia a Palavra, e a Palavra era Deus e a Palavra estava com Deus" --> nesta primeira frase da Bíblia está contido o "caminho para a Vida"...

A linguagem (palavra) contaminada é o que dá origem à Paranoia - e a solução é a Purificação das Palavras feita através do processo de Perdão Próprio no qual TOTAL RESPONSABILIDADE é tomada ao nos Tornarmos UM e IGUAL (Imagem e Semelhança) com a Existência (Deus?).

RECOMPENSA:

 A recompensa é um mundo na qual o ser humano já não tem mais nenhuma desculpa para continuar a aceitar abuso -- e deste ponto de partida é possivel mudar muita coisa pois já não existe a ESPERAnça de que "alguém" ou "algo" nos vem "salvar" nem que estamos à "mercê" de uma "força superior".

A recompensa são milhares de milhões de horas diáriamente usadas em tarefas que realmente necessitam da nossa atenção em vez de rituais que só têm provado vezes sem conta serem absolutamente inúteis.

A recompensa é a utilização dos imensos espaços religiosos para actividades realmente relevantes à existência humana.

A recompensa é a utilização da riqueza das instituições religiosas em áreas da existência humana que realmente necessitam de melhoramentos.

A recompensa é  a liberdade de milhares de milhões de seres humanos para se poderem Criar como Vida, Um e Iguais com e como o Físico/Existência.

Põe um fim a esta Paranoia: 

Aqui terás todo o apoio a eliminares toda a Paranoia que em ti existe de forma a te tornares um Ser Humano com Verdadeira Integridade.

27 de junho de 2013

Dia 206 - Paranoia: Forças Armadas

27 de junho de 2013 0
Definição de Paranoia na Wikipedia:
"A Paranoia é um processo de pensamento que se acredita ser imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente até ao ponto de irracionalidade e delírio.
O pensamento Paranoico inclui, tipicamente, crenças de preseguição, ou crenças de conspiração relacionadas com uma percepção de ameaça contra o próprio. (ex: "Eles estão à minha caça.")
Fazer falsas acusações e uma desconfiança geral pelos outros é também acompanhada pela paranoia. Por exemplo, um incidente que a maioria das pessoas veria como acidente ou coincidência, uma pessoa paranoica acredita ser intencional.

História

A palavra "Paranoia" vem do Grego παράνοια (paranoia), "loucura".
O termo foi inicialmente usado para descrever uma doença mental na qual uma crença delirante é a característica dominante.
Nesta definição, a crença não tem de ser baseada na "preseguição" para ser classificada como "paranoica" - portanto, qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia. Por exemplo, uma pessoa que sómente tem a crença delirante de que é uma figura religiosa importante seria classificada por Kraepelin como possuindo "paranoia pura".
(...)
Mesmo nos tempos que decorrem, um delírio não necessita ser "suspeitoso" ou fundado em "medo" para ser classificado como "paranoico".
Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquitzofrénico" sem possuir delírios de "preseguição", simplesmente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos."


Existem uns pontos que quero salientar para demonstar mais eficazmente como as Forçar Armadas são na verdade Paranoia:

"A paranoia é um processo de pensamento (...)"

"A paranoia é um processo de pensamento imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente ao ponto de irracionalidade e delílio"

"(...) qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia"

"Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquizofrénico" (...) simplemente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos"

Para trazer ainda mais claridade ao assunto quero também aqui deixar a definição de "delírio":
"Um delírio (às vezes denominado delusão) é caracterizado por crenças mal fundamentadas fortemente enraizadas na vida de uma pessoa e que causem prejuízo significativo para si mesmo ou para outros."

Definição psiquiátrica de "delírio":
"Uma falsa crença baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa que é sustentada com firmeza (...) apesar do que se constitui em prova incontroversa e óbvia de evidência em contrário."

PROBLEMA:

Esta é uma das maiores Paranoias que nós alguma vez já criámos e que só tem causado sofrimento para a maioria da população e beneficiado uma pequeníssima minoria.
Se formos bem a ver, a criação das forças armadas teve sempre um único motivo: A proteção e manutenção do poder daqueles que governam -- senão vejamos: A formação de países está directamente ligada ao poder de certos indivíduos que através da crença de "o escolhido" e através do princípio de "liberdade" fizeram uma lavagem cerebral às populações ao pondo de conseguirem formar uma "tropa" que os protegia "até à morte" --- refiro-me aos "reis"/"imperadores" etc...

Interessantemente, esta Paranoia está directamente ligada à Paranoia da religião que está fundada na existência de um ser "superior"/"escolhido": Deus.

Toda a mitologia também teve um papel fundamental em estabelecer a crença de que existem seres "especiais/escolhidos".

É através deste caminho mitológico-religioso (que são a mesma coisa!) que chegamos ao ponto em que um ser humano é visto como "especial/escolhido": O Rei.

As famílias Reais acreditavam-se (acreditam-se!) descendentes do "Reino de Deus", pois o "Sangue Real" corria-lhes nas veias... Não seria difícil de acreditar nisto se fosses filho de um "Rei", pois por nascença vias-te herdeiro de toda uma nação - e é obvio que só justificarias a tua "especial posição" se acreditasses que foste um "escolhido" de Deus. Mas na verdade o que se passava era que o dinheiro era o Deus que garantia a manutenção do poder. É este "poder Real" (dinheiro) que permitia a criação e manutenção de forças armadas. Não é por acaso que nas moedas era estampada a cara/brazão do Rei -- claramente uma mensagem dirigida à plebe: "Sou eu que te controlo. Sou eu que te dou liberdade. Sou eu que te protejo. Tu precisas de mim. É a mim que tens de honrar e obedecer".

Apesar de não parecer, as populações têm muita responsabilidade no meio disto tudo -- e é por este motivo que a maioria da população mundial é também responsável pelo estado desastroso do mundo, apesar de dizerem que "não podem fazer nada, o sistema é muito forte"... Isto é exactamente a mesma coisa que há milhares de anos as populações pensavam: "Nós somos uns coitadinhos, o Rei é que manda, estamos sempre à mercê dele". Mas assim como o Rei providênciava uma certa segurança às populações que controlava, o actual sistema também nos dá um conforto que garante que nós não tomamos responsabilidade, e é só quando as coisas apertam que vamos para a rua protestar... No entanto estes protestos são o equivalente a atirar tomates ao Rei...

Olha bem para a formação de países: Num ano uma população está sobre o domínio de um Rei -- no outro ano essa população já pertence a outro país/Rei. Passado algum tempo andamos nós feitos parvos a gritar "Portugal, Portugal!" enquanto os outros gritam "Espanha, Espanha!" enquanto os nosso "tetra-tetra-tetra avós" gritavam "Roma, Roma!" --- estás a ver a estupidez?

O que ainda é mais ridículo no meio disto tudo é que os "Nobres" dos vários países casavam entre si!

DIVISÃO E CONQUISTA! É este o moto de todos os governantes/reis/imperadores. Interessantemente, este é também o moto dos capitalistas!

A história da humanidade está repleta de gangues organizados que dividiram o mundo. Cada um destes gangues resultou naquilo a que hoje chamamos uma "Nação". Estas nações, para manterem a sua "independência", têm de garantir que a "força/poder" que usaram para se individualizarem se mantenha bem viva ao olhos de todos os outros gangues -- pois se não o fizerem o que é certo é que um outro gangue vem e invade o território e depois essa população e os recursos naturais existêntes nesse território passam a ser controlado pelo novo gangue.
99.99% da população mundial quer fazer a sua vida em paz e em sossego. Assim sendo, os governos, como representantes das populações (pelo menos em princípio!) não têm necessidade nenhuma de terem e manterem forças armadas! Estas só existem devido à Paranoia de que "alguém nos vem atacar!" ou "precisamos de atacar!". Todas as nações são vítimas desta Paranoia e como tal todas as nações mantêm as suas forças armadas.
Esta Paranoia das forças militares tem um outro componente muito forte que tem garantido a sua existência: O negócio que elas constituem. Em 2010 foram gastos 1.600.000.000.000 Dólares nas forças armadas de todo o mundo (http://www.sipri.org/media/pressreleases/2011/milex) - ou seja, 1.6 Milhões de Milhões de Dólares. De acordo com Jeff Sachs no seu livro O Fim da Pobreza, são necessários 175.000.000.000 Dólares por ano para acabar com a pobreza em 20 anos (http://www.visionofearth.org/economics/ending-poverty/how-much-would-it-cost-to-end-extreme-poverty-in-the-world/). Isto quer dizer que se a dispeza militar mundial fosse usada para acabar com a pobreza, em 2 anos, 2 meses e 5 dias tinhamos este assunto resolvido. PORQUE É QUE NÃO O FAZEMOS? ---> porque existe um grande nível de Paranoia...

As forças armadas não passam de forças de abuso e destruição. Não precisamos de forças armadas -- precisamos sim de forças policiais tais como a Polícia de Segurança Pública (PSP) a Polícia Judiciária (PJ) e Guarda Nacional Republicana (GRN) cuja função é de defender os direitos dos cidadãos e defender a constituição e o princípio democrático de um país. Estas funções podem ser exercidas por uma só força polícial constituída por vários segmentos que se dediquem a funcões específicas tais como o policiamento das ruas, a patrulha florestal e marítima, regulação do transito, combate ao crime organizado, combate à criminalidade económica, missões de busca e salvamento etc...

SOLUÇÃO:

A solução é a Desmilitarização mundial. É certo que esta é a vontade da população mundial. Aqueles que são a favor de manter as forças armadas são, por definição, Paranoicos! Infelizmente aqueles que estão no poder dão indicações de serem todos Paranoicos, caso contrário o mundo não estaria como está.

É obvio que a Desmilitarização mundial implica muito mais do que simplesmente "derreter todos os tanques" -- implica na verdade uma vontade mundial de cooperação na criação de um mundo de Paz e Harmonia, em vez de "Guerra e Armamento".

Eu pergunto-me se será assim tão difícil de chegar a esta decisão... Porque é que não tomamos esta decisão? O que é que nos está a impedir de tomar esta decisão? Será que para sempre iremos continuar na APARENTE necessidade de destruir e pilhar "o próximo"?

O artigo Número Um da Constituição Portugueza diz: "Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária."

Na Constituição da União Europeia pode-se ler: "A União (Europeia) é fundada nos valores de respeito pela dignidade humana, liberdade, democracia, igualdade, lei e respeito pelos direitos do homen (...)"

Na Declaração Universal dos Direitos do Homen lê-se: "Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade."

Portanto, podemos ver claramente que a Desmilitarização é uma necessidade se é que algum dia iremos honrar estas Constituições e a Declaração -- pois na guerra não existe dignidade, na guerra não existe liberdade, na guerra não existe justiça, na guerra não existe solidariedade, na guerra não existe democracia, na guerra não existe respeito pelos direitos do homem, na guerra não existe razão, na guerra não existe fraternidade --- na guerra só existe sofrimento e destruição.

RECOMPENSA:

PAZ!

As palavras que irão criar Paz duradoura para todos os cidadãos do mundo já existem -- agora só nos falta manifestá-las!



26 de junho de 2013

Dia 205 - Paranoia: Saúde

26 de junho de 2013 0
Definição de Paranoia na Wikipedia:
"A Paranoia é um processo de pensamento que se acredita ser imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente até ao ponto de irracionalidade e delírio.
O pensamento Paranoico inclui, tipicamente, crenças de preseguição, ou crenças de conspiração relacionadas com uma percepção de ameaça contra o próprio. (ex: "Eles estão à minha caça.")
Fazer falsas acusações e uma desconfiança geral pelos outros é também acompanhada pela paranoia. Por exemplo, um incidente que a maioria das pessoas veria como acidente ou coincidência, uma pessoa paranoica acredita ser intencional.

História

A palavra "Paranoia" vem do Grego παράνοια (paranoia), "loucura".
O termo foi inicialmente usado para descrever uma doença mental na qual uma crença delirante é a característica dominante.
Nesta definição, a crença não tem de ser baseada na "preseguição" para ser classificada como "paranoica" - portanto, qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia. Por exemplo, uma pessoa que sómente tem a crença delirante de que é uma figura religiosa importante seria classificada por Kraepelin como possuindo "paranoia pura".
(...)
Mesmo nos tempos que decorrem, um delírio não necessita ser "suspeitoso" ou fundado em "medo" para ser classificado como "paranoico".
Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquitzofrénico" sem possuir delírios de "preseguição", simplesmente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos."
  
Existem uns pontos que quero salientar para demonstar mais eficazmente como a Saúde e o actual sistema de Saúde são na verdade Paranoia:

"A paranoia é um processo de pensamento (...)"

"A paranoia é um processo de pensamento imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente ao ponto de irracionalidade e delílio"

"(...) qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia"

"Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquizofrénico" (...) simplemente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos"

Para trazer ainda mais claridade ao assunto quero também aqui deixar a definição de "delírio":
"Um delírio (às vezes denominado delusão) é caracterizado por crenças mal fundamentadas fortemente enraizadas na vida de uma pessoa e que causem prejuízo significativo para si mesmo ou para outros."

Definição psiquiátrica de "delírio":
"Uma falsa crença baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa que é sustentada com firmeza (...) apesar do que se constitui em prova incontroversa e óbvia de evidência em contrário."

PROBLEMA:

Existe uma grande Paranoia em volta da Saúde: A paranoia das dietas -- que, diga-se de passagem, é na verdade um estratagema capitalista, pois se formos a ver todos os anos são gastos centenas de milhares de milhões de dolares em todo o mundo em dietas e em tudo o que estas englobam: Ginásio, produtos de emagrecimento, cremes, terapias, cirurgias, suplementos alimentares, DVDs de exercicios, alimentos "light" -- como se pode ver existe toda uma indústria que depende desta paranoia chamada "Saúde" que, se formos realmente a investigar, está na verdade relacionada com um ponto interessantíssimo: Sexo!

Já ouviste o piropo: "É só Saúde!" ? 

O ser humano foi sujeito a uma lavagem cerebral tão extensiva que nem sequer é capaz de ver o que está mesmo à sua frente: As energias geradas pela mente que o levam a criar todos os tipos de Paranoias. A energia não é real: esta não passa do produto resultante da nossa aceitação e permição de Separação da Realidade que, no processo, acaba por libertar uma energia à qual nos tornámos viciádos.

Esta Paranoia das dietas é na verdade a Paranoia do Sexo porque o motivo para se fazer uma dieta em 99% dos casos é na verdade o desgosto que a pessoa tem da IMAGEM que se tornou -- e como tal decide entrar num REGIME no qual a pessoa se "Rege" de acordo com o "Me" (Regi-Me) que quer ver ao espelho para que se sinta confiante quando é observada pelas outras pessoas (ainda mais na hora da cama) isto porque a pessoa sabe exactamente o que as outras pessoas pensam PORQUE todos nós fomos programados pelo próprio sistema que necessita que o ser humano esteja constantemente a julgar-se a sí próprio e aos outros, o que no fim só resulta numa paranoia de Insegurança -- e é por isso que empresas de Seguro fazem tanto Lucro!

Existe uma grande paranoia de volta da "Comida Saudável". Todos os dias, todas as famílias, sempre a mesma lengalenga: "Come isso que faz bem"; "não comas isso que faz mal"; "olha que isso tem muita gordura"; "olha que isso te vai fazer subir a tensão"; "olha que isso tem muito açucar"; "come isso que tem muita vitamina"--- a paranoia é interminável!

Depois temos a Paranoia do sistema de Saúde - o que é a mesma coisa que a Paranoia da doença.
Eu não estou a dizer que uma pessoa que tem uma doença que foi clinicamente provada é tem uma paranoia em relação doença, mas sim que o sistema de Saúde foi todo criádo com base na cura (ou tentativa) de doenças.
À primeira vista isto até pode parecer bem, mas na verdade é um grande problema porque o sistema está dependente das pessoas terem doenças!
Um verdadeiro sistema de Saúde é aquele que tem as suas bases fundadas na PREVENÇÃO -- e só quando a prevençãp falha é que então se procuram outras soluções.
No actual sistema de saúde não existe qualquer tipo de Princípio Preventivo.

Eu li há uns tempos não sei onde, talvez num dos livros do Osho, que os "médicos" deviam de ser pagos para MANTEREM as pessoas Saudáveis, e caso a pessoa ficasse doente então o médico deixaria de ser pago pois ele não fez o seu trabalho devidamente.  Depois só voltaria a ser pago depois de ter curado o doente ao reestabelecer a sua Saúde. Isto garante que os médicos sejam pagos ao manterem as pessoas saúdáveis -- que é exactamente o contrário do sistema actual em que o médico só é pago se houverem doentes!

Este princípio no qual o sistema de Saúde está fundado é o que acabou por tornar este sistema numa Industria que depende do sofrimento das pessoas! Isto é inadmissível!

O facto que só fazemos testes para determinar o que se passa com os nossos corpos QUANDO já existem sintomas de que algo está mal é Paranoia se considerarmos que é o medo que nos leva a questionar o que se passa. Este medo é irracional porque o "medo racional" seria a PREVENÇÃO!

Como se pode ver o actual sistema de Saúde é pura irracionalidade, é pura loucura: Um delírio que só causa sofrimento e que enrriqueçe aqueles que menos se preocupam com os outros: os investidoes e accionistas das empresas que produzem os as drogas e os equipamentos médicos.

SOLUÇÃO:

A solução para o sistema de Saúde é obviamente um novo sistema baseado na Prevenção, no qual TODOS os anos TODOS os seres humanos são sujeitos a testes para determinar o estado de funcionamento dos seus corpos.
Neste contexto cada ser humano, desde a sua nascença, teria uma alimentação específica de acordo com a fisiologia do seu corpo - e todos os anos esta alimentação/nutrição seria ajustada de acordo com as novas descobertas científicas que, tendo em conta a quantidade de data recolhida dos testes feitos a todos os seres humanos, não serão poucas... Desta forma colocamos um fim à Paranoia da Saúde relacionada com as dietas -- pois desde início cada ser humano terá a melhor alimentação de acordo com nosso conhecimento científico.

Neste contexto a obesidade e a anorexia irão reduzir drasticamente e eventualmente deixarão de existir.

RECOMPENSA:

A garantia de que todos nós teremos ao nosso dispor o melhor que o conhecimento humano pode alguma vez providênciar: Uma Vida Saudável. E nos casos em que o nosso conhecimento não é suficiente para resolver o problema pelo menos teremos a certeza de que demos o nosso melhor. Infelizmente hoje em dia não se pode dizer que isto assim seja porque o dinheiro é o factor principal que controla o sistema de Saúde e não o Princípio "Prevenção é a Melhor Cura".

As palavras que definem este Sistema já existem -- agora só nos falta manifestá-las!

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket