31 de julho de 2013

Dia 226 - A Compaixão que é Escrever este Blog

31 de julho de 2013 0
techno tutor desteni technotutorOs Blogs da Jornada de 7 Anos para a Vida, acima de tudo, são blogs de compaixão para com todos os seres humanos, animais e plantas.

Nós, Destonians, não o fazemos só por nós. Bem podiamos continuar a escrever o nosso processo de Renascença em documentos privados e não partilhar nada --> mas no entanto partilhamos -- não tudo, mas o essencial: Aquilo que Realizamos Ser Verdadeiramente importante de se partilhar, pois vemos que irá, eventualmente, chegar aos olhos de alguém que irá beneficiar.

Eu não escrevo estes blogs para obter fama, eu não escrevo estes blogs por dinheiro, eu não os escrevo para agradar ninguém -- o mais provável é chatear muita gente... mas a Verdade é mesmo assim: Custa a enfrentar!
Eu não escrevo este blog me incentivam. Eu não escrevo porque tenho pessoas a comentar os blogs, a dizerem que são "muito bons! Continua!" -- Em 222 blogs tive 6 comentários feitos por duas pessoas, uma delas a minha esposa.

Então, porque é que eu os escrevo?

Existem 3 motivos:

Primeiro: Escrevo por TODOS --> Escrevo por COMPAIXÃO.

Escrevo porque reconheço que todos somos Iguais, que todos temos a mesma Força de Vida dentro de nós, e como tal é a minha responsabilidade fazer os possíveis para mostrar a Todos que é possível criar um Paraíso nesta Terra --> e que para tal temos de começar por nós mesmos, ao mudarmos a nossa "natureza humana" destrutiva.

Eu nasci em Portugal, falo Português -- e como tal é a minha responsabilidade mostrar aos mais de 250 milhões de pessoas que falam Português que na verdade existe UMA SOLUÇÃO para TODOS os problemas Existênciais, Sociais e Económicos.
Eu e a minha esposa, a Joana Jesus, somos os únicos a escrever sobre A SOLUÇÃO em Português --> mais ninguém no mundo o faz. Até chegar o dia em que realizas que o Perdão-Próprio e a Honestidade Própria são a Solução e até conseguires reunir em ti a compaixão suficiente para começares também a escrever o teu processo de renascimento --> até lá só eu e a Joana seremos os únicos exemplos para todos os falantes de língua Portuguesa. Quantos mais se dedicarem a este processo de escrita, mais rápida será realizada A Solução por todos.
Por isso, de que estás à espera?

O segundo motivo é: Faço-o por mim.
Escrevo porque faz parto do processo individual de tomar Responsabilidade pelas capacidades que tenho e desenvolvo. Senão tomar responsabilidade, o processo não é real.
Escrevo porque me ajuda à disciplina, à determinação.
Ao escrever o blog estou-me a dar direcção, estou a acumular acções (palavras) que definem e determinam a minha mudança.
Escrevo para me ajudar a transcender resistências ---> quando começares o teu processo de escrita vais compreender melhor o que quero dizer com "resistências", mas fica já aqui uma "dica": Nós não fomos programados para sermos CRIATIVOS --> muito pelo contrário, fomos programados para sermos Destrutivos, e a prova disso reside no estado do mundo actual e da nossa história.
Escrever estes blogs é um acto Criativo, uma acto de Criação, pois ao fazê-lo estou a recriar-me: Cada palavra (e o seu contexto) é um "tijolo" no "templo" que é a Vida. O Processo é mesmo este: Renascer (reCriar-me) como VIDA.

O terceiro motivo é: ter a prova Documentada em tempo real do meu processo para que todos possam ver que estou a mudar, a tornar-me melhor -- para que possam ver o desenvolvimento/origem da minha mudança. Assim sou a Prova de que Todos Nós podemos VERDADEIRAMENTE Mudar -- e que todas as Desculpas e Justificações para não o fazer não passam de actos de ódio e destruição.
Se em ti existe Realmente Bondade, Compaixão e Amor, então tens de o demonstrar ao MUDARES! --> porque o que é certo é que se continuares na mesma, o mundo irá continuar na mesma: Um local de abuso e destruição --> Sê honesto contigo mesmo, escreve os teus pensamentos no papel e verás que na verdade és um "Demónio" e que toda a "bondade" que aparentas ter é na verdade uma Farça -- pois a verdade é que só te preocupas com as tuas vontades, os teus desejos, o teu bem estar -- "e que tudo o mais vá pró inferno".
O que é que tens feito para por fim a TODO o sofrimento do mundo? O que é que tens feito para garantires que todos tenhamos uma alimentação nutritiva todos os dias? O que é que tens feito de forma a garantir que todos nós temos água potável?
O que é que tens feito para mudares as políticas do teu pais para garantires que toda a população tenha um elevado nível de vida? O que é que tens feito para perceberes de onde é que vêm os teus medos, as tuas angústias, as tuas preocupações, as tuas invejas, os teus ciumes etc? O que é que tens feito para REALIZARES porque é que te tornaste naquilo que és hoje em dia? Porque é que milhões de pessoas morrem todos os dias de fome e tu não sentes nada -- mas no entanto se uma coisinha te corre mal durante o dia ficas logo revoltado?
Que fique bem claro que rezar, meditar e "pensar positivo" é o equivalente a não fazer absolutamente NADA! Sentir pena dos outros é o mesmo que NADA. Chorar pelas injustiças é o mesmo que fazer NADA. Sentir empatia e nada fazer é o mesmo que fazer NADA.
Por isso, assim é fácil ver que no fundo, se fores honesto contigo mesmo, só tens sido parte dos Problemas do mundo -- e não a Solução.

Há muito a realizar. Há muito a escrever -- muito a Questionar! Há muito que tens de investigar!
O mundo só é possível de se mudar se cada um mudar por si -- se cada um tomar responsabilidade. E aqueles que decidem tomar responsabilidade formam um grupo, e é o grupo que será capaz de fazer mudanças significativas no sistema. É por isso que o Desteni existe: É o grupo de pessoas que activamente se aplicam diáriamente para se mudares de forma a serem capazes de eventualmente tomarem posições no sistema nas quais serão capazes de mudar as "regras" para que estas sejam o reflexo daquilo que é

Então, quando é que estarás pronto para te tornares num Ser Humano digno de Compaixão?


Dia 225 - O Diábo está no Detalhe: Mudança Detalhada

techno tutor desteni technotutor
No processo de mudança é imperativo que se tenha uma noção clara de que se não formos capazes de mudar "pequenas coisas" do nosso ser, é obvio que os Grandes pontos que temos a transcender tornam-se virtualmente impossiveis de se lidar.

Vejo por mim que é muito fácil olhar para "pequenos pontos" e descartá-los, como se não fossem importantes -- como se não "merecessem" consideração e tempo para ver o que é que podem mostrar sobre quem eu me tornei.

Hoje, por exemplo, estava deitado na cama com a Joana -- ambos cansados, e esta semana é a minha vez de cozinhar, por isso disse-lhe: "podes ir buscar azeite porque já não temos mais" -- e nesse momento pensei para mim mesmo: "boa, enquanto ela vai comprar o azeite eu fico aqui e posso fechar os olhos um pouquinho -- depois quando ela chegar levanto-me para fazer o jantar".
Isto é algo que eu me vejo a fazer com frequência -- é, na verdade, um padrão: só me "mexo" quando é necessário -- até lá "fico no desanso".
Enquanto estava a dizer a mim mesmo que ia ficar um pouco a descansar realizei: "eu estou sempre a fazer isto.. Se a minha intensão é realmente mudar, eu tenho de provar que o faço com estas pequenas coisas -- afinal de contas eu não cheio de sono, e posso muito bem adiantar algumas coisas fo jantar". Nesse momento levantei-me e "pus-me a mexer".

"O Diábo está no detalhe."

"Devagar se vai ao longe."

Tudo neste processo se torna mais fácil se dedicarmos o nosso tempo em mudarmos "pequenas coisas" -- pois à medida que elas acumulam e depois se tornam "novos hábitos", depois já "não custam" -- e torna-se mais fácil lidar com pontos maiores, pois já existe uma certa experiência do que significa enfrentar a mente.

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido pensar que sou capaz de resolver grandes pontos em mim em vez de realizar que se eu ainda não lidei com pontos "básicos" então é porque não estou pronto para lidar com pontos mais "avançados".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que tentar lidar com pontos grandes antes de lidar com pontos mais pequenos só demonstram que eu não estou a ser honesto comigo mesmo -- pois estou a acreditar que sou capaz de lidar com mais do que na verdade consigo -- o que em si só demonstra que eu estou a permitir que o meu ego seja o factor desicisvo e determinante daquilo que eu penso, digo e faço -- e como tal torna-se IMPOSSIVEL de eu fazer qualquer mudança real.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que assim como que a cada momento da respiração eu me mantenho aqui vivo, é também ao lidar com pontos pequenos, passo a passo, que eu sou capaz de acumular mudanças reais que me irão preparar para enfrentar "grandes montanhas" neste "caminho para a vida".

Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido descartar certos pontos como insignificantes ao acreditar que eu "sou mais" que esses pontos em vez de realizar que TUDO aquilo que se passa na minha cabeça é o reflexo exacto e preciso daquilo que eu tenho de considerar, analizar e entender para que eu possa depois trancender -- e a prova da transcendência resida na não re-ocorrência dos pensamentos.

Eu compromento-me a lidar com todos os pontos que eu me torne ciente MESMO QUE aparentemente sejam "insignificantes" -- pois eu realizo que se não fossem relevantes eles não se manifestariam.

Eu compromento-me a tomar responsabilidade mim Próprio -- e este "Próprio" não só é quem eu Realmente Sou como Vida mas também TODAS as personagem e personalidades que ainda constituem "quem eu sou" em separação da VIDA.

Eu comprometo-me a trabalhar pontos pequenos, aos poucos -- sabendo que é através da acumulação de pequenas mudanças que eu depois irei "olhar para trás" e ver uma "grande mudança" em mim.

Eu comprometo-me a ser honesto comigo mesmo ao não ignorar os pequenos pontos/pensamentos pois eu realizo que é ao liar com estes que eu enfrento TODA a verdade de mim mesmo, ao promenor -- e como tal serei capaz de me conhecer verdadeiramente e deste ponto de partida serei capaz de realmente mudar.

Dia 224 - Passo a Passo: Andar em Honestidade Própria

techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteO Processo de Renascença (que neste prog está exposto) está intrisecamente dependente de uma eficaz
análise daquilo que nos tornámos.
Isto implica que é necessário "andar para trás no tempo" para investigarmos PASSO A PASSO  (respiração a respiração) como é que nos construímos ao longo do tempo para que se possa corrigir de forma eficaz os vários pontos que têm determinado a nossa desonestidade própria.

"Saltar" pontos é desonestidade própria. "Roma não foi construida num dia" -- nem tu- Cada "tijolo" é importante na construção de quem tu és, e como tal é necessário analizar cada "tijolo" para garantir que aquilo que te constitui é na verdade "Puro".

Eu vejo que no mu processo tenho saltado pontos: Tenho pensado "ah, não preciso de olhar para isto, eu percebo o que se passa" -- no entanto os pensamentos continuam a ocorrer, eu continuo a falhar no mesmo ponto... E porquê? Porque não fui honesto comigo, pensei ser melhor do que o que na verdade sou, pensei que estava mais "avançado no processo" e que não era preciso olhar para "esse ponto" --- Mas a prova física real que pode ser vista a ocorrer em tempo real demonstra que eu não estou ainda preparado para lidar com pontos maiores.

Passo a Passo.
Respiração a Respiração.

Outra coisa que também noto é a vontade/desejo de que os pensamentos párem "de imediato": Faço o perdão próprio e depois espero que os pensamentos não ocorram mais... Espero/quero que tudo fique resolvido. Mas a verdade é que eu tenho de ser testado no físico, pois só assim é que eu sei se o meu compromisso em mudar é real -- só assim é que eu sei se o meu perdão próprio é eficaz.

O perdão próprio que se aplica a cada TEM de ser sempre no contexto do perdão próprio que já foi aplicado e vivido.
Isto quer dizer que a pessoa tem de ser honesta com ela própria para que cada passo que dê com cada frase do perdão próprio é dado de forma estável e eficaz, baseada numa fundação real.

Por exemplo: "Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ser desonesto comigo mesmo. Eu comprometo-me, a partir desto momento, a ser SEMPRE honesto comigo mesmo!"

Se esta frase de perdão própria não tiver uma fundação de anos e anos de perdão próprio que sejam capazes de apoiar tal compromisso para a eternidade, é obvio que a pessoa NÃO VAI conseguir ser sempre honesta com ela própria depois de escrever tal frase. É o mesmo que tentar colocar o telhado numa casa sem sequer existirem as fundações nem paredes! O telhado vai cair!
Por isso, o perdão próprio tem de ser aplicado de forma a passo e passo se construir uma fundação sólida para que a "casa da Vida" possa vir a ser acabada devidamente sem a possibilidade de ruir.

Isto sim seria honesto: "Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ser desonesto comigo mesmo nesta situação especifica. Eu comprometo-me a puxar por mim para entender e compreender a origem desta minha desonestidade para que eu me possa estar pronto para me corrigir quando uma situação semelhante ocorra.

Neste exemplo a pessoa reconhece que ainda tem um longo caminho pela frente e que só chegará "ao fim" depois de ter percorrido todos os passos necessários. Depois daquele perdão-próprio, outro "passo" se seguiria: "Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu só irei ser capaz de me mudar quando entender porque é que agi/falei desta maneira especifica.Eu comprometo-me a estar mais ciente de mim mesmo ao estar presente com a respiração quando me encontro na presença desta pessoa e  neste tipo de situações para que eu possa dar a mim mesmo o tempo e a paciência que necessito para lidar com os meus pensamentos internos, imaginações e reacções para que eu seja capaz de pará-los/las e agir de acordo com o que eu realizo ser melhor para mim e para todos em honestidade própria."

No fim de contas é necessário que se cria uma fundação sólida baseada em HONESTIDADE PRÓPRIA. Cada "viga" e "pilar" na "casa da Vida" é importante como qualquer outra para a estabelidade da casa. Por isso, cada "viga" e cada "pilar" demora o tempo que demora até secar e tomar uma forma sólida na qual se possa confiar.

Entenda-se que as "vigas" e os "pilares" são TODOS as possíveis e imaginárias frases de perdão próprio. Nenhuma é nem mais nem menos que qualuqer outra, todas são essênciais. Se assim não for, a "casa" irá de certo "cair" e depois tens de começar tudo de novo, desta vez em HONESTIDADE PRÓPRIA.

Dia 223 - Arrependimento como Solução

techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteEu perdoo-me por não me ter aceite e permitido utilizar o Arrependimento como uma ferramenta de mudança.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido considerar o facto que ao participar em certos pensamentos só irei criar um mim mesmo arrependimento -- pois eu sei que podia ter mudado nesse momento ao tomar uma nova direcção -- a direcção de Honestidade Própria.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que o verdadeiro e util arrependimento é aquele que me IMPEDE de agir de forma desonesta.

Eu comprometo-me a fazer uma lista de palavras e acções que até hoje tenho dito e feito e que me têm levado a ficar arrependido de forma a poder aplicar o perdão próprio a cada ponto -- e assim a me preparar para no futuro estar ciente de mim mesmo em relação a estes pontos e como tal ser capaz de utilizar o arrependimento como um "travão" para não por "colidir" e acabar sofrendo mais uma vez.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido fazer do meu passado uma fonte de ensinamento ao utilizar o arrependimento como professor daquilo que só me causa sofrimento e insatisfação.

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que arrepender DEPOIS de ter feito a "asneira" é inútil. Só o arrependimento ANTES de se fazer a asneira é que é de valor pois este contêm a possibilidade de trazer uma mudança --> logo não se faz a "asneira".

Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu "aprendo uma lição" se eu utilizar o arrependimento como uma forma de voltar a repetir o "mesmo erro".

Eu comprometo-me a não esquecer aquilo que me arrependo até eu ter provado a mim mesmo de forma consistente que MUDEI verdadeiramente e que sei, baseado na prova física da minha aplicação, que não irei cometer os mesmos erros.

Eu comprometo-me a dedicar esta minha vida a explorar, entender e transcender todos os pontos que constituem a minha mente que representa a minha separação da vida de forma a chegar ao ponto em que eu possa morrer a qualquer momento sabendo que Vivi em plenitude, sabendo que não existe motivo de arrependimento -- pois eu terei a certeza que sou uma expressão de Vida, Um e Igual com Tudo e Todos.


Eu comprometo-me a realizar que o arrependimento só deixa de existir quando a minha expressão de Vida for Igual e Una com Aquilo que é melhor para todos -- e como tal eu Dedico-me e compromento-me a puxar por mim para transcender tudo aquilo que me separa da Vida como quem Eu Realmente Sou.

Dia 222 - Pensamento: A Ferramenta da Criação (ou Destruição!)

techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteÉ deveras interessante considerarmos que sem o pensamento, quem PENSAMOS SER, não existiria.

O que é que é na verdade Pensar?
Pensar é uma ferramenta: É uma ferramente que nos é dada e possibilitada a utilização pelo cérebro.

Esta é a ferramenta  mais indevidamente usada pela humanidade -- pois fomo ensinados que quem nós somos é esta ferramenta! E cada um constroi a sua ferramenta (a sua forma de pensar) como bem lhe convém e depois diz "A minha ferramenta é melhor que a tua!" ou "a minha ferramenta é que está certa/correcta!"

Nós NÃO SOMOS a Ferramenta! Nós somos "aquele" que está por trás a controlar a ferramenta!

O actual estado do mundo é a utilização inapropriada desta ferramenta que é Pensar --- e a sua mal utilização provém da crença de que somos a ferramenta.

Como bem sabemos, qualquer ferramenta pode ser usada de uma forma adequada ou de uma forma inadequada --> que é o mesmo que dizer que se pode usar uma ferramenta da forma certa ou errada --> que é o mesmo que dizer que se pode usar uma ferramenta para o bem ou para o mal.

O estado destrutivo e abusivo do mundo é o resultado da utilização da ferramenta para o "mal".
Agora, a definição de "Mal" tem de ser bem clara se é que iremos algum dia utilizar a ferramenta devidamente. ("Devida-Mente"? --> a "mente" que "deve" --> a "mente" que "serve")

O "Mal" é aquilo que Não considera o TODO.
O "Bem" é aquilo que considera o TODO. O "Bem" é aquilo que É Melhor Para Todos. E neste contexto não existem opiniões nem ideias -- pois as opiniões e ideias não passam de "ferramentas" --- e as ferramentas (pensamentos) não são para se ter em conta -- só o que é real é que se têm em conta, e se uma ferramenta (pensamento) não está apta para o trabalho, então usa-se outra ferramenta (pensamento) para se obter um melhor resultado.
Aquilo que é Melhor Para Todos é UM FACTO Mensurável --- daí não haver a possibilidade de se discutir.

Nós não somos os Pensamentos (Ferramentas) -- nós somos o utilizadores da ferramentas.
O grande problema que temos é a nossa identificação com estes pensamentos: Um pensa ser um "martelo" outro pensa ser um "serrote" -- e depois quando é necessário aparafusar um parafuso cada um diz "Eu é que sei, faz-se assim" (martela-se) e o outro diz "não é nada, faz-se assim" (serra-se) e, obviamente, o resultado é desastroso...
É exactamente isto que se passa no mundo: Cada um puxa a brasa à sua sardinha --- em vez de TODOS puxarem a brasa à sardinha de TODOS = Utilizarem as várias ferramentas de forma a que Todos possamos "ter uma refeição".

Achas mesmo que és aquilo que pensas?
Achas mesmo que as memórias definem quem tu REALMENTE és?
Achas mesmo que os teus desejos são reais?
Achas mesmo que o ciúme é real?
Achas mesmo que o medo é real?
Achas mesmo que a ganância é real?
Achas mesmo que a inveja é real?

Porque é que te deixas ser controlado por estas "ferramentas"? (pensamentos)
Porque é que estás tão apegado a estas "ferramentas"?
Achas mesmo que perdes alguma em pores certas "ferramentas" de lado? Porque, se fores bem a ver, a maior parte das ferrramentas que usas só servem para "consertar" (justificar) outras "ferramentas" que tens!

Por exemplo:  A religião é uma "caixa de ferramentas" que te permite justificar a crença/ideia de que essa mesma "caixa" dá para todos os trabalhos e ofícios! Mas a verdade é que, claramente, essa caixa está cheia de ferramentas que só causam dano aos outros e ao próprio utilizador da caixa!

Tu não és essa caixa! Bem podes mandar tudo fora! Ou então abre a caixa e em honestidade propria pergunta-te: Quais são as ferramentas que aqui está que podem ser utilizadas para o "Bem" ---> e depois vais ver que, por exemplo, lá existe uma ferramenta que diz "faz aos outros aquilo que queres que te façam a ti". Ora, esta é uma óptima ferramenta!!!

Depois podes olhar para outra ferramenta que diz "Jesus morreu na cruz pelos teus pecados. Aceita Jesus como o teu salvador e terás entrada no reino de Deus" --> ora, esta ferramenta, se fores honesto contigo mesmo, é na verdade a total abdicação da Responsabilidade Própria! Porque implica que uma pessoa pode continuar a "pecar" e que basta uma pessoa "aceitar Jesus como o seu salvador" para se ter "uma vida eterna de felicidade" --> Esta ferramenta é muito perigosa!!! Não só para os outros (porque serão vítimas de abuso/pecado!) mas também para o próprio utilizador da ferramenta ao acreditar que quando morrer irá como por magia tornar-se uma pessoa "Pura" e sem "Pecado" --> quando a prova/evidência que deixou nesta Terra é exactamente o oposto! Isto é pura desonestidade própria! Que tipo de integridade existe nesta ferramenta? NENHUMA!!!

Aqui fica o desafio:
Repara bem na quantidade de ferramentas que tens que só servem para destruires a tua própria integridade assim como também magoam os outros. São tudo ferramentas de goa --> São tudo ferramentas do "Mal".

Vê-te LIVRE de todas as Ferramentas do "Mal" -- mantém só as Ferramentas que, ao serem transformadas em palavras e acções, irão criar um Mundo Melhor para Todos.



20 de julho de 2013

Dia 221 - Honestidade Própria: A Solução

20 de julho de 2013 0
techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteNo seguimento dos meus últimos 2 blogs - agora coloco a questão: O que é Honestidade Própria?

O que é ser Honesto com o Próprio?
Primeiro que tudo é necessário saber quem é "o Próprio"?

Se o que nós pensamos é na verdade a acumulação daquilo que nos ensinaram, das nossas experiências e dos nossos juizos de valor feitos em relação a tais experiências que por sua vez são feitos de acordo como aquilo que nos ensiranam -- no meio desta confusão toda, quem é o Próprio?

Quem Sou Eu?

Será que o que eu "quero" é realmente o que "EU QUERO" -- ou não passa de um "querer" que em nós nos foi programado?

O que eu vejo é que o que "queremos/desejamos" não passa de uma consideração naquilo que a Honestidade Própria realmente é.

Por exemplo: Se existem pensamentos que se repetem constantemente e nós levamos as "nossas vidas"  como se nada fosse -- isso não é ser-se Honesto com o Próprio.
Neste contexto, a Honestidade Própria é reconhecer a presença dos pensamentos que se repetem e investigar as suas origens para serem entendidos verdadeiramente para depois se tomar uma DECISÃO baseada na realização da "natureza dos pensamentos":
São estes pensamentos destrutivos?
São estes pensamentos do Ego?
São estes pensamentos de natureza abusiva?
Será que estes pensamentos representam o que EU QUERO? -- ou serão eles na verdade parte do meu pré-programa?
Será que estes pensamentos consideram o que é melhor para todos?

Esta última questão traz-me a uma outra Dimensão da Honestidade Própria que deve SEMPRE de ser considerada: O que é MELHOR PARA TODOS!
Isto porque o "Próprio" é na Realidade Um e Igual com TODOS/Tudo.
Tú és o ar que respiras, a água que bebes, a fruta que comes. És o Sol e a Lua que possibilita a Vida na Terra tal como ela existe. És desta Terra -- és um Terrestre. Os átomos que constituem o teu corpo e o meu foram criádos pelas estrelas -- somos pó de estrelas...
Não há nada que separa um átomo num canto do Universo de um outro átomo noutro canto -- nem mesmo o vazio entre eles -- pois é o mesmo vazio que os constitui e que os liga.

Portanto -- se cada um de nós alinhar aquilo que cada UM Quer com Aquilo que é Melhor Para Todos: Nesse momento todos os dias de sofrimento, tristeza e insatisfação só existirão como memórias do passado.

A Honestidade Própria é a Chave para a Vida, da Vida.

Pode-se dizer que a Honestidade Própria é um processo... No entanto TODOS nós temos a capacidade de Sermos Honestos com o Próprio a Cada Momento da Respiração -- Pois só existimos Verdadeiramente AQUI a Cada Momento.

O desafio é ganhar a Coragem, Força, Disciplina, Determinação, Dedicação, Confiança e Direcção Próprios para se ser caPAZ de enfrentarmos a Verdade de nós mesmos em Honestidade Própria.

O facto de que é necessário todo um processo de Perdão Próprio para se chegar à Honestidade Própria só prova que o ser Humanos tornou-se completamente desfuncional -- isto porque VIVER em Honestidade Própria devia de ser a ÚNICA forma de se Viver.

Como é que chegámos a este ponto de tamanha Desonestidade no mundo? 

Dia 220 - Auto Sabotagem: "Eu Não Sei"

techno tutor desteni technotutor perdao consciencia mente"Eu não sei"

Deparo-me muitas vezes a dizer isto quando me questiono o que é que se passa comigo: Porque é que apesar de ter uma vida estável, saúde, tempo para me divertir e descansar, uma esposa fantástica, pais maravilhosos, e amigos por todo o mundo com os quais a qualquer momento posso ter uma conversa  sincera -- apesar de tudo ainda há qualquer coisa em mim que parece faltar. O que é? " Eu não sei".

Mas - eu estou ainda menos feliz com a resposta: Porque é que eu não ei de saber? Se eu não souber, quem é que sabe? Se não for eu a descobrir por mim, o que é certo é que irei continuar insatisfeito.

Eu não me vou permitir ficar por aqui -- "Eu não sei" não é razão para permanecer na mesma.
Este "Eu não sei" não passa de uma forma de auto sabotagem.
Eu tenho de saber! Se eu for honesto comigo mesmo eu irei chegar à verdade.

As pistas estão todas na minha mente: O que eu penso, o que eu tento evitar, o que eu sinto, o que eu experiêncio... Tudo isto são as peças do puzzle que constituem "quem eu sou" neste momento e eu tenho de por as peças todas juntas para no fim ter uma "imagem" clara daquilo "que eu sou" neste momento e para ver "que peça é que está a faltar" e também para ver que peças é que eu preciso de remover do puzzle para que no fim eu fique satisfeito com o resultado.

"Pedi, e ser-vos-á dado; procurai, e encontrareis; batei, e hão-de abrir-vos." Mateus 7, 7

É mesmo isto que irei fazer -- é isto que tenho feito. E não irei parar até eu ter aberto "todas as portas" -- pois se eu não "as abrir", é o mesmo que decidir "fechá-las" a mim mesmo.

Porque haverei eu de me limitar?
Porque haverás tu de te limitar?


18 de julho de 2013

Dia 219 - As Grandes Questões que temos Evitado...

18 de julho de 2013 0
Vês-te como a pessoa que desejarias ser?
techno tutor desteni technotutor perdao consciencia mente
O que é que te está a impedir de te tornares nessa pessoa?

As qualidades que vês noutras pessoas e que gostavas de ter -- o que é que te impede de as desenvolveres? Afinal, ninguém nasce ensinado!

Portanto a questão coloca-se: O que é que te ensinaram e que nesta altura da tua vida se opõe a te criares na pessoa que desejas ser?

Quais são os pensamentos que se estão constantemente a repetir e que te impedem de ires para além daquilo que pensas ser?

O que é que não gostas em ti? O que é que faz parte do teu ser, da tua forma de estar, com a qual não estás satisfeito?
E porque não fazes o necessário para mudar?
Quais são as desculpas?
Quais são as justificações?

Quais são os pensamentos que causam a tua insatisfação?
O que é que estás SEMPRE a pensar que está constantemente a Repetir e que não estás disposto a enfrentar?

Quais são os teus pensamentos secretos que não estás disposto a enfrentar e que se as outras pessoas soubessem não iriam confiar em ti?
E lá por as outras pessoas não os saberem, será isso uma razão suficiente para te permitires continuar a tê-los? O que é que isso diz da tua integridade? Estás a tentar enganar quem?

O que é que usas como entertenimento como uma forma de Escape da realidade de quem tu te tornaste com a qual claramente não estás satisfeito?

O QUE É QUE QUERES DA TUA VIDA?

O que é que te faz feliz? -- e porque é que continuas a por isso em segundo plano?

E se por acaso estás a pensar que não sabes o que te faz feliz, então como é que podes ser infeliz? Vês a contradição?


A HONESTIDADE PRÓPRIA é a coisa mais difícil de se alcançar.

Sem Honestidade-Própria não é possível obter-se as respostas Verdadeiras às perguntas que coloquei.
Sem Honestidade-Própria nunca chegaremos à Verdade de nós mesmos -- e como tal continuaremos perdidos num mar de ilusões que se apresentam sob a forma de pensamentos, sentimentos e emoções. Uma verdadeira confusão e conflito interno no qual não existe qualquer tipo de Integridade nem Respeito Próprio.

Só tu te podes Considerar Verdadeiramente -- sem Honestidade-Própria tal é impossivel.
Se tu não considerares o que é verdadeiramente importante para ti e decidires vivê-lo, então para sempre serás um prisioneiro da tua própria mentira.


Depois de responderes a todas as questões tem de colocar uma última questão: A questão que no fundo determina se estás verdadeiramente a ser Honesto Contigo mesmo.
Será que aquilo que eu quero está alinhado com Aquilo que é Melhor Para Todos?sonho, sonhar, 
Será que aquilo que eu quero de alguma forma causa sofrimento nos outros?
Será que aquilo que eu quero considera a existência de toda a Vida na Terra?
Será que Aquilo que eu quero estou disposto a Dar e a Receber de todos os outros?

Será que aquilo que eu  quero é realmente o que EU (como Vida, Um e Igual com Tudo e Todos) QUERO? -- ou será que não passam de desejos do meu Ego que na verdade nunca me trarão nenhuma satisfação nem felicidade?

E caso estes "quereres" são na verdade desejos do meu Ego e que não são obviamente o que EU Realmente quero nem o que é Melhor Para Todos, então que razão é que eu tenho para continuar a permitir que estes "desejos" me pre-ocupem?

Estas são questões que me tenho colocado -- e queria com o mundo partilhar pois eu sei que estas são as questões cujas respostas irão revelar a solução que todos nós procuramos.


17 de julho de 2013

Dia 218 - Extrema Força de Vontade e Dedicação

17 de julho de 2013 0
techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteÉ fácil para qualquer um ver que a actual situação no mundo é no mínimo desastrosa -- e como tal é muito fácil que se perca toda a pouca esperança que possivelmente se tinha na humanidade.

Quando eu era criança eu pensava que muito em breve o mundo iria tornar-se um local de paz absoluta -- pois quando considerava a história da humanidade - todas as guerras, as fomes, as doenças - e via que as coisas à minha volta eram muito diferentes, eu pensava que "tinhamos feito um bom trabalho" e que em muito pouco tempo não iria haver nenhum sofrimento. Quão inocente eu era, ao pensar que os adultos estavam dedicados em criar um paraíso na Terra...

Não demorou muito tempo até eu perceber que eu tinha de ser uma das pessoas a fazer alguma coisa -- porque pelos vistos ninguém estava preocupado em fazer deste mundo um Paraíso -- e se eu não o fizer, então isso quer dizer que eu sou uma das pessoas que faz desta Terra um verdadeiro inferno.

Mas esta tarefa de "mudar o mundo" é a coisa mais díficil de se fazer -- como é obvio! Porque se fosse fácil, já teria sido feita.
É a coisa mais difícil do mundo porque toda a gente de todo o lado diz que é "impossivel criar uma sociedade perfeita" -- dizem que isso é uma "Utopia" -- nunca irá acontecer... Chamam-me de "Idealista".... Mas pois claro que sou IDEALISTA! Tenho uma IDEIA baseada num IDEAL -- na verdade, é a IDEIA IDEAL! O IDEAL é na verdade o PRINCÍPIO da EXISTÊNCIA: Unidade e Igualdade.  Como pode possivelmente a Existência ser/estar separade de Si mesma e/ou não ser Igual a Si Mesma? Se não percebes a IMPOSSIBILIDADE da questão que coloquei, fica a saber que este PRINCÍPIO é um FACTO comprovado pela ciência e, se tiveres um pouco de Senso Comum, vais ver que TODAS as religiões dizem o mesmo. No entanto o FACTO mais relevante de sempre é ignorado por todos... Se isto não é a definição de loucura, o que será?

É claro que sou IDEALISTA: Tenho uma longa LISTA de IDEIAS que farão deste mundo um Paraíso na Terra... Mas as pessoas chamam-me de IDIOTA.

O que é que tu fazes quando Tudo e Todos te deitam abaixo ao dizerem que Um Mundo Melhor Para Todos é uma "ideia parva"?
O que é que tu fazes quando ninguém à tua volta te ouve e ignora?
O que é que tu farias se tivesses feito a descoberta mais importante de toda a Eternidade mas todos te ignoram ou te chamam de "idiota"?

Dizem que "se não os consegues vencer, junta-te a eles" --- Mas será que é de todo sensato abdicar da minha RESPONSABILIDADE em fazer deste mundo um Local Melhor Para Todos? Não, claro que não é sensato porque não existe qualquer SENSO em decidir fazer parte do Problema. Tudo aquilo que pensas, dizes e fazes e que não representa Aquilo que É Melhor para TODOS faz, obviamente, parte dos Problemas que temos de enfrentar e resolver.

Aquilo que pensas, dizes e fazes como JUSTIFICAÇÃO para Não Tomares Responsabilidade em te Criares como Aquilo que É Melhor Para Todos é o Problema que tens de enfrentar e transcender -- isto é se existe qualquer tipo de Sensatez em ti.

Não interessa se estou sozinho nesta caminhada para a VIDA ou não. O que é relevante é a minha INTEGRIDADE, mesmo que isso me leve a perder todos os amigos e familiares. Mais vale uma VIDA VIVIDA a Sós do que uma existência ilusória acompanhada.

Eu não estou aqui para "vencer" ninguém -- pois eu não estou a lutar contra ninguém. Por isso não há razão nenhuma para me "juntar" à Ilusão que é a crença que eu e tu estamos/somos Separados.
Só tu és capaz de te separar de ti mesmo = Só tu és capaz de te separar de mim = Só tu és capaz de te separar do Universo. Cada um é aquele que se opõe a Si Mesmo.

Eu comprometo-me a não me Opor a mim mesmo = Eu comprometo-me a tornar-me o que é melhor Para Todos = Eu comprometo-me a criar Paz neste mundo = Eu comprometo-me a não Parar até TODOS Realizarem que Criar um Mundo Melhor Para todos é de facto POSSÍVEL e NECESSÁRIO, e que tal está na verdade dependente de Cada Um se tornar no "IDIOTA IDEALISTA" que outrora pensou não ser possivel Ser.

EQUALMONEY.org

16 de julho de 2013

Dia 217 - Paranoia: Pais, Relacionamentos e AMOR

16 de julho de 2013 0
techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteDefinição de Paranoia na Wikipedia:
"A Paranoia é um processo de pensamento que se acredita ser imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente até ao ponto de irracionalidade e delírio.
O pensamento Paranoico inclui, tipicamente, crenças de preseguição, ou crenças de conspiração relacionadas com uma percepção de ameaça contra o próprio. (ex: "Eles estão à minha caça.")
Fazer falsas acusações e uma desconfiança geral pelos outros é também acompanhada pela paranoia. Por exemplo, um incidente que a maioria das pessoas veria como acidente ou coincidência, uma pessoa paranoica acredita ser intencional.

História

A palavra "Paranoia" vem do Grego παράνοια (paranoia), "loucura".
O termo foi inicialmente usado para descrever uma doença mental na qual uma crença delirante é a característica dominante.
Nesta definição, a crença não tem de ser baseada na "preseguição" para ser classificada como "paranoica" - portanto, qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia. Por exemplo, uma pessoa que sómente tem a crença delirante de que é uma figura religiosa importante seria classificada por Kraepelin como possuindo "paranoia pura".
(...)Mesmo nos tempos que decorrem, um delírio não necessita ser "suspeitoso" ou fundado em "medo" para ser classificado como "paranoico".
Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquitzofrénico" sem possuir delírios de "preseguição", simplesmente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos."

Existem uns pontos que quero salientar para demonstar mais eficazmente como a ser Pai/Mãe e os Relacionamentos em geral são na verdade Paranoia:

"A paranoia é um processo de pensamento (...)"

"A paranoia é um processo de pensamento imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente ao ponto de irracionalidade e delílio"

"(...) qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia"

"Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquizofrénico" (...) simplemente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos"

Para trazer ainda mais claridade ao assunto quero também aqui deixar a definição de "delírio":
"Um delírio (às vezes denominado delusão) é caracterizado por crenças mal fundamentadas fortemente enraizadas na vida de uma pessoa e que causem prejuízo significativo para si mesmo ou para outros."

Definição psiquiátrica de "delírio":
"Uma falsa crença baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa que é sustentada com firmeza (...) apesar do que se constitui em prova incontroversa e óbvia de evidência em contrário."

PROBLEMA:

Para acabar esta série da Paranoias vou expor a origem de todas as Paranoias que descrevi anteriormente.

Todas elas começam em casa, e são ensinadas aos Filhos pelos Pais.

Ser Pai ou Mãe, neste mundo, é a receita perfeita para se chegar ao cúmulo da Paranoia -- isto porque trazer um novo ser a este mundo sem se ter primeiramente certeficado que o mundo está pronto para receber um novo ser e que irá providênciar as melhores condições possiveis -- é Loucura!

Como trazer um filho a este mundo é Loucura, a maior parte dos Pais, acima de tudo, consideram uma coisa: O dinheiro que têm e o dinheiro que são capazes de gerar todos os meses. Isto porque o dinheiro, como sabemos, é o que possibilita uma vida estável. Sem dinheiro não há comida, não há fraldas,não há medicamentos, não há roupa, não há uma boa educação, não há presentes nos anos nem no Natal -- não existe qualquer tipo se segurança, estabilidade nem comforto... Sem dinheiro não há nada! Portanto, esta é a única segurança com a qual qualquer pessoa pode contar. Sem dinheiro estás tramado...

Ora, como o dinheiro é a única forma que temos de garantir a nossa sobrevivência, os pais ensinam desde muito cedo aos filhos que "o dinheiro não cai do céu"-- ou seja, que a nossa existência neste mundo está condenada ao acesso que temos ao dinheiro. Assim sendo bem sendo ensinamos aos nossos filhos que estamos num mundo em que é necessário estar constantemente a competir (e os desenhos animados fazem um papel fundamental neste ensinamento destrutivo) e que não existe cooperação nenhuma, e se não te importares com a tua sobrevivência, ninguémo irá fazer: "Salve-se quem pode" -- ou melhor, "Salve-se quem têm o PODER do dinheiro".
Assim sendo os pais ensinam aos filhos tudo o que necessitam para um dia virem também a serem capazes de fazer dinheiro para que possam sobreviver neste mundo. Parece não haver outra forma! Portanto, assim se vê como ser Pai/Mãe é Paranoia porque a pessoa têm de se sujeitar à Paranoia que é o mundo actual: A Paranoia da economia, a Paranoia da Política, a Paranoia da Religião etc... Desta forma rejeitamos o senso comum que é "FAZ AOS OUTROS AQUILO QUE QUERES QUE TE FAÇAM A TI -- o que quer dizer que se DERMOS uns aos outros TUDO o que NECESSITAMOS, INCONDICIONALMENTE, também será isso que iremos Receber! É triste ver que ainda não chegamos a este patamar básico de Co-Existência. Tudo o que existe são Paranoias, e os Pais têm de ensirar aos filhos como lidar com todas estas Paranoias.

Tudo começa quando os pais ensinam aos filhos, de uma forma subconsciente, a terem medo -- isto porque os Pais têm um medo enorme que aconteça algo de mal aos seus filhos -- eu sei isto não por ser pai, mas sim por ser filho...
Portanto, desta forma, os pais dizem constantemente aos filhos: "cuidado com isto, cuidado com aquilo, não faças isto, olha que aquilo é perigoso" etc..
Assim filhos aprendem: "Epá, mas este mundo está cheio de Perigos! Eu assim vou acabar completamente Paranoico!!!"

Porque é que achas que é tão normal os adolescentes (e até mesmo crianças!) considerarem pelo menos uma vez na vida em cometer o suicídio? Porque este mundo está completamente do aveço! E todos os sonhos, toda a vida que tinham quando crianças, vão por agua a baixo porque começam a ver que o este mundo é na verdade uma bela merda! E quem é que é culpado? Os Pais! Porque não agiram de forma a garantir que o mundo está preparado para receber a VIDA que é um novo ser humano -- o mundo está sim estruturado para ABUSAR DA VIDA.

Como é que um Pai há de ensinar um Filho a sobrevivernum mundo de Abuso? Só o pode fazer ao abusar da inocência do filho e ao garantir que o filho se torna perito em abusar para que saiba todos os truques e como tal não se deixe ser abusado! Mas o Pai, coitado, foi outrora uma criança, abusada pelo próprio Pai - que outrora foi também uma criança abusada pelo próprio Pai - que outrora foi também uma criança abusada...

Estás a ver o ciclo?
É por isso que só o Processo de Perdão Próprio Garante que pomos um fim à repetição dos "Pecados dos nosso pais".

Por isso, se és Pai ou Mãe e se realmente queres criar um filho/filha que tenha integridade, começa já o teu processo de Perdão Próprio para garantires que não passas os teus pecados para o teu filho/filha.

Quantas vezes já ouviste pessoas a dizerem: "Epá, estás mesmo a ficar igual à tua mãe / ao teu pai"
És capaz de ver isto em ti? A fazeres e a dizeres as mesmas coisas que o teu pai/mãe? Coisas que tu próprio/própria outrora julgavas e que dizias "nunca irei dizer/fazer o que o meu pai/mae diz/faz".

Pois é: Tu mesmo/a és a prova de que quem te tornaste é o resultado da Paranoia dos teus antepassados.

As crianças/adolescentes querem mudar as coisas, querem revolução, e fazem tudo para chamar a atenção dos adultos de forma a indicarem que AS COISAS NÃO ESTÃO BEM! Mas pouco depois vêm que não os conseguem "vencer" e como tal "juntam-se a eles"--- e é por isso que só os adultos dizem: "As coisas serão sempre assim, nunca irão mudar. Ainda és muito jovem para perceber" --> mas a verdade é que estes "velhos" juntaram-se àqueles que outrora não conseguiram "derrotar" porque também ninguém os ouviu -- porque eram "muito novos para perceber"...


Para se juntar à Paranoia dos Pais temos a Paranoia dos relacionamentos -- a Paranoia do Amor.

Uma das coisas mais fascinantes de se notar é o facto de praticamente toda as pessoas dizem estar cheias de amor:  Amor pelos seus amigos, pelo namorado/namorada, pelo marido/mulher, pelos filhos, pelos familiares... Estão todos cheios de "Amor" - no entanto o estado do mundo é tudo menos "Amor".

Se o "Amor" é suposto ser uma "força" que nos torna melhores, que nos traz compaixão, que nos traz alegria, que nos traz felicidade, que nos traz respeito pelos outros --> então o "Amor" Não Existe de Todo! E como tal o "Amor" que todos professam só pode ser uma coisa: PARANOIA!

É Paranoia porque nos convencemos que esse sentimento que sentimos é Real apesar TODAS as PROVAS de que temos que o claramente demonstram que o AMOR não existe!

Se pensas que o amor que "tens" é real fica a saber que és vítima de uma lavagem cerebral -- e o "Amor" que pensas ser real é na verdade um Delírio que tu próprio criáste e que necessita da tua constante atenção e energia (sob a forma de pensamentos) para que continues a senti-lo.

"A minha paixão (amor) por ti era um lume
Que não tinha mais lenha por onde arder"

Quando os pensamentos/energia, descrita na música Anel de Rubi como "lenha", deixam de existir = a "chama" do "amor" morre.

Aquilo que as pessoas chamam de "amor" é na verdade uma experiência energética gerada pela mente feita através da atribuição de valores a memórias. É por isso que só dizes ser capaz de "amar" certas pessoas PORQUE só és capaz de atribuir um valor sentimental às MEMÓRIAS associadas a um número limitado de seres humanos. É por isso que apesar de milhões de pessoas morrerem todos os dias de formar absolutamente inaceitáveis, tu não sentes nada! É como se as pessoas nem tivessem existido -- e na verdade não existem porque não fazem parte da tua existência que é definida pelas memórias que tens e os valores associados a estas memórias.

É por isso que quando um familiar ou um amigo teu morre tu sentes que uma parte de ti morre também: O que morre em ti é a definição que tu criáste de ti mesmo de acordo com essa pessoa que está dependente da memória e o valor associado a essa pessoa -- e quando a pessoa morre é como se "quem tu és" muda bruscamente porque num só momento mudas a memória associada a essa pessoa --> que é o mesmo que mudar a memória que tens sobre ti mesmo.
É por isso que quando o "zé ninguém" morre não te faz diferença nenhuma porque não existe qualquer auto-definição de acordo com a memória do "zé ninguém" porque não existe memória nenhuma!
 
Diz-se que o "Amor é Cego" porque a pessoa fica cegada pelas experiências energéticas da mente ao ponto de ignorar toda a Realidade ao criar a Paranoia de que "só existe a outra pessoa/as".

Quando um "ente querido" morre entramos num processo de "luto" no qual nos deparamos a "lutar" contra a definição que temos de nós mesmos: Por um lado é o "eu" definido pelo passado (definido pelas memórias do "ente querido" enquanto vivo) -- e por outro lado é a realidade do "novo eu" definido pela nova memória que é o facto de que o  "ente querido" está morto. Enquanto não fizermos "paz" com as nossas memórias andaremos numa luta interna: Estaremos de "luto".

Como vês o "Amor" não passa de uma memória: Não passa de uma Paranoia. Sem a memória não há amor. E não há memória sem  um cérebro funcional. Por isso, quando morres e deixas de ter o cérebro como o armazém das tuas memórias, como é que achas que vais chegar ao "céu" e lembrares-te de quem é o teu "pai" ou a tua "mãe"? Achas mesmo que vais ter um "re-encontro maravilhoso"? Como é que vais fazer isso sem o teu cérebro? O mais provável é nem sequer lembrares-te do teu nome... Isto porque o teu nome está fundamentado numa linguagem definina por esta realidade e pela forma como o corpo humano funciona: Sem o corpo humano, não tens esta linguagem, logo não tens como expressar o teu nome!
Achas mesmo que "Deus" fala Português? Já agora, Português do Brasil ou Português de Portugal? E já agora, ele está a par do acordo ortográfico?
Bem -- "Deus" lá deve saber como traduzir o teu nome para a "língua divina"... Mas, se "Deus" não tem corpo, como é que ele tem memória do teu nome? Ah, pois, mas que parvoisse... Deus é Todo Poderoso e sabe tudo! Só parece não saber como por um fim ao sofrimento na Terra...

Bem -- como vez esta brincadeira da "vida para além da morte" é muito complicada... Ainda para mais quando nem tu nem eu temos a mínima noção do que é morrer... Uma verdadeira perda de tempo, não é? Visto que estamos AQUI nesta TERRA e é no AQUI e no AGORA que nos devemos focar para pormos um fim à Paranoia que é o Amor Condicional definido por experiências energéticas da Mente de forma a podermos Realmente Manifestar o AMOR REAL que é definido pela Manifestação daquilo que é Melhor Para Todos!

P.S - Deus não Existe!

SOLUÇÃO:

A Solução, quer sejas Pai, Mãe, Namorado, Namorada, amigo, amiga, tio, tia, primo, prima etc -- a Solução é começares a tomar responsabilidade por aquilo que te tornaste ao tomares direcção em te perdoares por te teres permitido e aceite criar  Paranoias de todos os tipos e teres permitido que essas Paranoias tenham contaminado as tuas relações com os outros seres humanos.

A Solução, como Pai/Mãe, é GARANTIRES que não "passas os teus pecados para os teus filhos" -- isto em si é um processo de dedicação a ti mesmo acima de tudo porque se não desenvolveres em ti Integridade Própria, os teus filhos acabarão por não ter qualquer tipo de integridade porque na sua "tenra idade" não foste capaz de lhes mostrar o que é ser-se completo/integro.Como tal acabarão por desenvolver todo o tipo de problemas e acabarão por se tornarem na cópia perfeita de todas as tuas Paranoias.
A todos os Pais aconselho a que façam o seguinte investimento:
Caso não entendam o Inglês, é sugerido que peçam a alguém que seja capaz de fazer a tradução em tempo real.
O que irá determinar se vai verdadeiramente investir na Educação dos Teus filhos ao comprares essas entervistas é o Amor que tens pelos Teus filhos: É um Amor Verdadeiro? Ou um "amor" de Paranoia?

A Solução para todos os Casais é, também, o processo de Perdão Próprio para garantir que não aturam a merda um do outro para que sejam capazes de CRIAR um Relacionamento baseado em Integridade, Apoio, Respeito, Paciência, Entendimento e Confiança.
Especificamente para os Casais eu aconselho a que façam este curso:

RECOMPENSA:

Um Futuro livre de Paranoias! --> Isto porque as Crianças são o futuro, e se o "futuro" for devidamente planeado, o resultado é Certo e Mensurável!
A Recompensa serão Futuros Líderes livres de Paranoias, e como tal um mundo Livre de Paranoias!


15 de julho de 2013

Dia 216 - Paranoia: Indústria da Música

15 de julho de 2013 0
techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteDefinição de Paranoia na Wikipedia:
"A Paranoia é um processo de pensamento que se acredita ser imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente até ao ponto de irracionalidade e delírio.
O pensamento Paranoico inclui, tipicamente, crenças de preseguição, ou crenças de conspiração relacionadas com uma percepção de ameaça contra o próprio. (ex: "Eles estão à minha caça.")
Fazer falsas acusações e uma desconfiança geral pelos outros é também acompanhada pela paranoia. Por exemplo, um incidente que a maioria das pessoas veria como acidente ou coincidência, uma pessoa paranoica acredita ser intencional.

História

A palavra "Paranoia" vem do Grego παράνοια (paranoia), "loucura".
O termo foi inicialmente usado para descrever uma doença mental na qual uma crença delirante é a característica dominante.
Nesta definição, a crença não tem de ser baseada na "preseguição" para ser classificada como "paranoica" - portanto, qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia. Por exemplo, uma pessoa que sómente tem a crença delirante de que é uma figura religiosa importante seria classificada por Kraepelin como possuindo "paranoia pura".
(...)Mesmo nos tempos que decorrem, um delírio não necessita ser "suspeitoso" ou fundado em "medo" para ser classificado como "paranoico".
Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquitzofrénico" sem possuir delírios de "preseguição", simplesmente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos."

Existem uns pontos que quero salientar para demonstar mais eficazmente como a Indústria da Música é na verdade Paranoia:

"A paranoia é um processo de pensamento (...)"

"A paranoia é um processo de pensamento imensamente influenciado por anxiedade ou medo, frequentemente ao ponto de irracionalidade e delílio"

"(...) qualquer número de crenças delirantes podem ser classificadas como paranoia"

"Uma pessoa pode ser diagnosticada como "paranoico esquizofrénico" (...) simplemente porque os seus delírios referem-se sobretudo a si mesmos"

Para trazer ainda mais claridade ao assunto quero também aqui deixar a definição de "delírio":
"Um delírio (às vezes denominado delusão) é caracterizado por crenças mal fundamentadas fortemente enraizadas na vida de uma pessoa e que causem prejuízo significativo para si mesmo ou para outros."

Definição psiquiátrica de "delírio":
"Uma falsa crença baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa que é sustentada com firmeza (...) apesar do que se constitui em prova incontroversa e óbvia de evidência em contrário."
  
PROBLEMA:

A Paranoia existente na indústria da música é qualquer coisa de extra-Ordinário: É a Paranoia do Sexo, os Delírios de Grandiosidade/Superioridade, a Paranoia do "Amor/Relacionamentos" e a Paranoia da Diversão/Curtição. A música que temos hoje em dia resume-se a pouco mais do que estas Paranoias.

Todas as músicas são o reflexo do processo de pensamento dos artistas -- e se formos bem a ver estas estão repletas de irracionalidade, delírio, medo, ciúme, vingança, traição, ganância, fantasias, imaginações, polaridade, ódio... A lista continua. No fundo reflectem a LOUCURA (Paranoia) dos artistas.

A Paranoia do Sexo é uma das Paranoias que mais vende: Não interessa qual é o género musical nem tão pouco a letra, basta colocar umas raparigas com "tudo à mostra" que a música vende logo. Na maior parte das vezes as letras da música acompanham estas imagens (sim, apesar de parecer as coisas não são feitas ao contrário...)
Este tipo de músicas e video clips só resultam porque toda a população é vítima da Paranoia que são as imagens e os desejos sexuais que levam o ser humano a cometer os actos mais violentos imagináveis tais como violações seguidos de homicídios. Talvez penses que estou a ir muito longe em relacionar estes eventos, mas se fores honesto contigo mesmo verás que a constante repetição de palavras e imagens de conteúdo sexual só alimentam os desejos que em ti existem -- e infelizmente certas pessoas levam esta Paranoia ao ponto extremo.

Nos video clips as mulheres não passam de objectos sexuais: A Beyonce, Katty Perry, Lady Gaga, Christina Aguilera, Jennifer Lopez, Nicki Minaj, Rihanna... A lista continua -- são todas objectos sexuais, exemplos para as gerações mais novas (até aos 30 anos ou mais). Que tipo de raparigas se tornam aquelas que vêm estes "artistas" como exemplos a seguir? Que complexos e que Paranoias é que criam? Que responsabilidade é que a industria da música tem perante os de problemas psicológicos que acabam por causar a milhões de indivíduos?

A grande maior parte dos artistas de música electrónica é a mesma coisa -- pois todo o propósito das suas músicas é pouco mais do que dar uma batida a uma letra sem qualquer conteúdo relevante  para que os "jovens" possam "beber até cair", curtir e, se possível, dar "uma". Ibiza e outros locais semelhantes só existem como existem devido a esta Paranoia sexual dos frustrados. No youtube vê-se também perfeitamente como a música electrónica está associada à objectificação da mulher: Os "videos" pouco mais têm do que uma imagem de uma ou várias mulheres "boas" a mostrarem mais pele do que dignidade.

Uma Paranoia que agora está ainda mais na moda é a das crianças/adolescentes do sexo femenino que são vítimas de uma lavagem cerebral completa que resulta na adoração irracional de uns "putos bonitos" com pinta e que na verdade têm muito mais sorte e dinheiro neles investido do que talento propriamente dito: Os One Direction e o Justin Bieber. Não demora muito tempo para se perceber que as "fãns" destes rapazes têm problemas psicológicos bastante agravados... Noutros tempos foram os Back Street Boys, os Boyzone, N'Sync, Spice Girls etc... Todos estes só criaram Paranoias nas gerações mais novas ao ponto de hoje em dia ser absolutamente normal venerarem-se imagens.

Mas a Paranoia não acaba aqui...

Temos todas os astistas que especificamente promovem as paranoias emocionais, tais como a Adele, Taylor Swift, Michael Bublé, por ai fora... Estes artistas promovem Paranoias emocionais que só acabam por criar seres humanos cujas relacionamentos intimos com outras pessoas estão cheios de disfuncionalidades baseadas em crenças do próprio, do outro e do que é que é um Relacionamento Real.

Temos a Paranoia dos Rappers que se baseia em sexo, putas, alcohol, drogas, gangs, falar mal do sistema sem dar soluções e pouco mais. Estes são os donos dos maiores egos da industria. É engraçado ver que o hip hop / rap começou por ser uma música de revolução através da expressão dos problemas que os afro americanos passavam -- e agora o sonho de muitas crianças/adolescentes é de virem a ser tembém artistas famosos para sairem da pobreza e repressão de que são vítimas -- e depois, como se pode ver, tornam-se em simbolos do consumismo capitalista que, ironicamente, é responsável por criar a pobreza de que outrora foram vítimas. Vai ler as letras das suas músicas e eu garanto-te que não demora muito até encontrares uma musica que diga "eu era do gueto, mas agora olha pra mim no topo do mundo" blah blah blah.... Tudo isto só prova o facto de que são vítimas de uma lavagem cerebral e que o delírio de grandiosidade que possuem controla a sua existências -- e como tal são absolutamente incapazes de facilitar qualquer mudança no mundo.

Mais: A Paranoia Religiosa que é caracteristica do Rock Cristão e do Reggae, por exemplo.
O Rock Cristão é a essência da abdicação de Responsabilidade Própria.
O Reggae é pouco mais do que "fuma essa erva, confia em Jah!". Falam de amor mas não apresentam solução prática nenhuma. Dizem que não fazem parte do sistema e que o sistema é mau e que devemos de "queimar a babilónia" (Burn down Babylon) -- mas no entanto necessitam do próprio sistema para irem de um lado para darem concertos e estão dependentes da technologia que o próprio sistema também providência. Vai falar com qualquer artista reggae (ou fã) e vais ver que apesar de toda a boa vontade de criar um mundo melhor, não são capazes de dar nenhuma solução... Muito provavelmente irão dizer que "temos de começar por legalizar a erva" --- ridículo, pois nem eles sabem o que é que a erva realmente faz na mente... Talvez se parassem de fumar fossem capazes de fazer alguma diferença no mundo... Mas o que é interessante notar é que dirão exactamente o contrário -- tal é a lavagem cerebral.

Existem muito poucas musicas neste mundo que transmitem algo de valor. No entanto estas músicas raramente são ouvidas e muito menos entendidas.

SOLUÇÃO:

A solução é cada artista tomar responsabilidade pelas suas Paranoias, investigá-las e só depois fazer música -- caso contrário só irão continuar a contaminar as mentes dos ouvintes com as suas Paranoias.

Ouçam as minhas músicas para terem uma noção do que é que são musicas com verdadeiro valor -- pois elas transmitem o Valor que é a vida assim como expõe o abuso a que a Vida na terra está sujeita. Todas as músicas que tratam deste tema e trasmitem a solução da tomada de responsabilidade que cada um tem perante a sua mente através do alinhamento desta com a Realidade de Unidade e Igualdade são as únicas músicas de Valor que existem... E vai lá ver quantas músicas destas és capaz de encontrar...
O meu album "The MessAge" é um testamento a este Processo de Auto-Realização ao qual, eventualmente, todos irão dedicar o seu tempo e atenção de forma a descobrirem como cada um é na verdade uma vítima de uma lavagem cerebral milenar que tem definido o ser humano como um Ser Paranoico.
Fica a saber que tudo aquilo que no meu album te causar uma reacção é um indicador de uma Paranoia tua que te controla e define. A solução é perdoares-te até te tornares Um e Igual às Palavras, pois estão foram especificamente estruturadas de forma a transmitir uma mensagem pura, alinhada com aquilo que é Melhor Para Todos.


RECOMPENSA:


A recompensa será o aceleramento do Processo de Auto-Realização de cada um pois em vez de termos músicas que fomentam as Paranoias, temos músicas que nos estão constantemente a relembrar que a única coisa de valor neste Universo é a VIDA -- e se tu não fores VIDA, então, por permissão tua, és insignificante.

Torna-te Significante!
Torna-te um artista de Significância!

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket