31 de julho de 2013

Dia 224 - Passo a Passo: Andar em Honestidade Própria

31 de julho de 2013
techno tutor desteni technotutor perdao consciencia menteO Processo de Renascença (que neste prog está exposto) está intrisecamente dependente de uma eficaz
análise daquilo que nos tornámos.
Isto implica que é necessário "andar para trás no tempo" para investigarmos PASSO A PASSO  (respiração a respiração) como é que nos construímos ao longo do tempo para que se possa corrigir de forma eficaz os vários pontos que têm determinado a nossa desonestidade própria.

"Saltar" pontos é desonestidade própria. "Roma não foi construida num dia" -- nem tu- Cada "tijolo" é importante na construção de quem tu és, e como tal é necessário analizar cada "tijolo" para garantir que aquilo que te constitui é na verdade "Puro".

Eu vejo que no mu processo tenho saltado pontos: Tenho pensado "ah, não preciso de olhar para isto, eu percebo o que se passa" -- no entanto os pensamentos continuam a ocorrer, eu continuo a falhar no mesmo ponto... E porquê? Porque não fui honesto comigo, pensei ser melhor do que o que na verdade sou, pensei que estava mais "avançado no processo" e que não era preciso olhar para "esse ponto" --- Mas a prova física real que pode ser vista a ocorrer em tempo real demonstra que eu não estou ainda preparado para lidar com pontos maiores.

Passo a Passo.
Respiração a Respiração.

Outra coisa que também noto é a vontade/desejo de que os pensamentos párem "de imediato": Faço o perdão próprio e depois espero que os pensamentos não ocorram mais... Espero/quero que tudo fique resolvido. Mas a verdade é que eu tenho de ser testado no físico, pois só assim é que eu sei se o meu compromisso em mudar é real -- só assim é que eu sei se o meu perdão próprio é eficaz.

O perdão próprio que se aplica a cada TEM de ser sempre no contexto do perdão próprio que já foi aplicado e vivido.
Isto quer dizer que a pessoa tem de ser honesta com ela própria para que cada passo que dê com cada frase do perdão próprio é dado de forma estável e eficaz, baseada numa fundação real.

Por exemplo: "Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ser desonesto comigo mesmo. Eu comprometo-me, a partir desto momento, a ser SEMPRE honesto comigo mesmo!"

Se esta frase de perdão própria não tiver uma fundação de anos e anos de perdão próprio que sejam capazes de apoiar tal compromisso para a eternidade, é obvio que a pessoa NÃO VAI conseguir ser sempre honesta com ela própria depois de escrever tal frase. É o mesmo que tentar colocar o telhado numa casa sem sequer existirem as fundações nem paredes! O telhado vai cair!
Por isso, o perdão próprio tem de ser aplicado de forma a passo e passo se construir uma fundação sólida para que a "casa da Vida" possa vir a ser acabada devidamente sem a possibilidade de ruir.

Isto sim seria honesto: "Eu perdoo-me por me ter aceite e permitido ser desonesto comigo mesmo nesta situação especifica. Eu comprometo-me a puxar por mim para entender e compreender a origem desta minha desonestidade para que eu me possa estar pronto para me corrigir quando uma situação semelhante ocorra.

Neste exemplo a pessoa reconhece que ainda tem um longo caminho pela frente e que só chegará "ao fim" depois de ter percorrido todos os passos necessários. Depois daquele perdão-próprio, outro "passo" se seguiria: "Eu perdoo-me por não me ter aceite e permitido realizar que eu só irei ser capaz de me mudar quando entender porque é que agi/falei desta maneira especifica.Eu comprometo-me a estar mais ciente de mim mesmo ao estar presente com a respiração quando me encontro na presença desta pessoa e  neste tipo de situações para que eu possa dar a mim mesmo o tempo e a paciência que necessito para lidar com os meus pensamentos internos, imaginações e reacções para que eu seja capaz de pará-los/las e agir de acordo com o que eu realizo ser melhor para mim e para todos em honestidade própria."

No fim de contas é necessário que se cria uma fundação sólida baseada em HONESTIDADE PRÓPRIA. Cada "viga" e "pilar" na "casa da Vida" é importante como qualquer outra para a estabelidade da casa. Por isso, cada "viga" e cada "pilar" demora o tempo que demora até secar e tomar uma forma sólida na qual se possa confiar.

Entenda-se que as "vigas" e os "pilares" são TODOS as possíveis e imaginárias frases de perdão próprio. Nenhuma é nem mais nem menos que qualuqer outra, todas são essênciais. Se assim não for, a "casa" irá de certo "cair" e depois tens de começar tudo de novo, desta vez em HONESTIDADE PRÓPRIA.

0 comentários:

Enviar um comentário

 
◄ Free Blogger Templates by The Blog Templates | Design by Pocket